PUBLICIDADE

Desigualdade é a maior em sete anos no Brasil

05:00 | 27/02/2019

A situação ainda precária no mercado de trabalho fez a concentração de renda se aprofundar no País ano passado. No quarto trimestre de 2018, a desigualdade, quando observada a renda domiciliar per capita, atingiu o maior patamar em pelo menos sete anos, segundo o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV).

O Índice de Gini do rendimento domiciliar per capita com trabalho subiu de 0,6156 no terceiro trimestre de 2018 para 0,6259 no quarto trimestre do ano, o 16º trimestre consecutivo de aumento. O Gini mede a desigualdade de 0 a 1 - quanto mais perto de 1, maior é a concentração de renda.

No quarto trimestre de 2018, o índice atingiu o maior patamar da série histórica iniciada no primeiro trimestre de 2012. Segundo Daniel Duque, pesquisador do Ibre/FGV, entre as razões para a piora na desigualdade de renda está a ausência de ganho real no salário mínimo e a dificuldade de trabalhadores menos qualificados aumentarem seus rendimentos. (AE)

TAGS