PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

INSTITUIÇÕES SILENTES

2019-02-01 04:07:56

Os magistrados da Associação Juízes para a Democracia fizeram o esperado de quem zela pela democracia. Soltaram um nota pública se dizendo preocupados com a notícia sobre as ameaças contra a vida do deputado federal Jean Wyllys (PSol-RJ). Mais ainda com a decisão do parlamentar reeleito em desistir do mandato e resolver se exilar. Os juízes entenderam o óbvio. Não pode ser encarado com normalidade em uma democracia, um parlamentar se sentir ameaçado de morte e instituições responsáveis pela manutenção do Estado Democrático de Direito permanecerem silentes. Caso, por exemplo, do Ministério Público que não precisa de provocação para ser protagonista. O deputado, ou qualquer cidadão, pode sentir medo, querer ir embora, mas as instituições não podem encarar isso como normal. Talvez, por isso, a segurança pública no Brasil tenha chegado onde chegou e estados como o Rio de Janeiro políticos se misturem com milicianos. Segundo o próprio parlamentar, há denúncias feitas na Polícia Federal. Cabe ao ministro Sergio Moro, um ex-juiz federal especializado no combate ao crime organizado, querer saber por que um político de oposição não pode exercer seu mister numa democracia.

PRECONCEITO

O Ceará é 12º estado onde mais se matam pessoas LGBT. Ano passado, foram 23 assassinatos. O levantamento é do Grupo Gay da Bahia. Levando em conta apenas a quantidade de mortes, São Paulo lidera com 58, seguido por Minas (36) e Bahia (35).

PRECONCEITO II

A notícia menos ruim é que houve uma queda no número de assassinatos e suicídios em 2018. Ano passado foram 420 mortes contra 445 registradas em 2017.

AUXILIAR

Jogo de cena ou não, o deputado Capitão Wagner (PSL) tem cumprido seu papel de parlamentar federal. Ontem, ele sentou com Camilo Santana (PT) para "fazer uma avaliação" sobre os 26 dias de ataques e como os deputados de oposição podem ajudar em Brasília.

LAGOA DA VIÚVA

No próximo dia 31, moradores do Bom Jardim terão mais uma rodada de negociações com a Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza. Na pauta, a urbanização do Parque Lagoa da Viúva. Em novembro, a Prefeitura de Fortaleza se comprometeu em adequar as propostas às reivindicações da comunidade.

LAGOA DA VIÚVA II

O Parque da Viúva tem 49,75 hectares. Foi criado em 2016 e precisa urgentemente que o Poder Municipal qualifique o espaço coletivo, dê segurança e incentive a preservação da área verde. Como há demora nas ações, invasores de terrenos se aproveitam e, depois, barganham indenizações.

LAGOA DA VIÚVA III

Em 2016, como O POVO noticiou, invasores (com tratores) desmataram 6,5 hectares próximo às lagoas. Não é gente que precisa de moradia. A comunidade replantou. Depois, mais ocupações ilegais e o caso virou uma ação civil pública do Ministério Público.

SUSTENTO

Em março, o Bom Jardim recebe o projeto Meu Bairro Empreendedor com instalação de uma Rua do Comércio e um Centro de Referência para fomentar a capacitação de empreendedores, a formalização de negócios e saber onde captar financiamento de microcrédito. O Mucuripe é o próximo na lista da Prefeitura de Fortaleza, em maio.

PORTE DE ARMA

O Comando da Polícia Militar do Ceará suspendeu, dia 21/1, o porte de arma de nove PMs. São dois sargentos e sete soldados. Desses, seis da 1ª Companhia do 5º Batalhão e três do 6º Batalhão. A maioria por que está em tratamento psicológico.

TAGS