PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

JANEIRO CONTURBADO

2019-02-01 03:59:52

Alguns setores do governo do Ceará estão parados administrativamente. Por uma razão, está terminando janeiro e o governador Camilo Santana (PT) ainda não assinou a renomeação ou nomeações inéditas para cargos comissionados de funções que dão andamento ao funcionamento burocrático da máquina pública. É natural que no final de uma gestão, o chefe do executivo faça exonerações e depois, avaliando a necessidade e a saúde financeira do Estado, recontrate ou enxugue cargos desnecessários. Muitas vezes criados para acomodações políticas por causa de alianças da época de campanha. Na Uece, por exemplo, certificados e diplomas de graduação e da pós-graduação não podem ser emitidos pois não há pró-reitores nomeados. Na Policia Militar, oficiais e praças reclamam que trabalharão o mês de janeiro sem receber a gratificação comissionada. Haveria entraves administrativos também na Secretaria da Saúde, na Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) e em outros órgãos.

ELEIÇÕES NA UFC

Em junho, a UFC fará consulta para a lista tríplice que apontará o novo reitor. O advogado Cândido Albuquerque, diretor da Faculdade de Direito, afirma que é candidato. O atual reitor, Henry Campos, poderá concorrer. O vice, Custódio Almeida, seria concorrente. Uma liderança que deverá influenciar nesse pleito é José Jesualdo, ex-reitor.

PERGUNTAS

A morte do presidiário Carlos Alberto, no ultimo dia 20/1, na CPPL 5, teria sido de causa natural, como foi informado ao O POVO. E por qual motivo a Secretaria da Administração Penitenciária não torna público o laudo que atesta isso? O que ocasionou a morte desse jovem presidiário? O preso seria testemunha da Chacina da Sapiranga, em 2017?

QUE BOM

Mais 22 escolas do Estado funcionarão em tempo integral este ano. Serão 19 regulares de ensino médio e três profissionalizantes, segundo o governador Camilo Santana. Com isso, o Ceará chega a 252. Tendo estrutura real é a melhor prevenção contra a escola do crime.

ACERVO

O Arquivo Nacional está disponibilizando em seu site uma série sobre Presidentes da República, Retratos Modernos, Biografias e Publicações do acervo. As informações são publicadas de segunda a quinta-feira. São básicas, mas oferecem pistas sobre a existências de alguns documentos curiosos e onde garimpá-los.

ACERVO II

Pelo menos por enquanto, a expressão "golpe militar" permanece em publicações do Arquivo Nacional na série Presidentes da República. Na que narra sobre Castello Branco, por exemplo, o "revisionismo" do governo Bolsonaro não chegou. Castello foi um dos que conspirou para a derrubada de João Goulart e a instalação da "ditadura militar" (1964-1985).

ACERVO III

No verbete sobre o presidente Lula, até ontem, faltava a fotografia, indicação de documentos e informações de como se deu a prisão do petista. Dilma Rousseff, coincidência, também está sem retrato, sem mapa de acervo e não há dados sobre o impeachment. A ficha dos outros presidentes estão completas. Confira: www.justica.gov.br

ONIPRESENÇA

Prefeito Roberto Cláudio (PDT) avisa que não poderia comparecer à posse dos conselhos da Igualdade Racial e LGBT. Estava em Brasília, no Ministério da Fazenda, para tratar da captação de R$ 700 milhões destinados a projetos em Fortaleza.

EMBARREIRAR

Estender para funcionários sem qualificação a classificação do sigilo de documentos é represar informação. O general Hamilton Mourão afirma que é desburocratização. 1.200 servidores sem concursos poderão dizer o que é ou não secreto.

TAGS