PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Estudo desmonta teoria de migração para América

farol

01:30 | 09/11/2018
Novo rosto de Luzia foi divulgado pelo estudo Divulgação/Fapesp
Novo rosto de Luzia foi divulgado pelo estudo Divulgação/Fapesp

A teoria de que o povoamento das Américas teria se dado por duas levas migratórias vindas do nordeste da Ásia - com população de traços africanos e australianos - e outra de ameríndios semelhantes aos indígenas atuais acaba de ser desmontada. Um estudo feito a partir de DNA fóssil, com amostras dos mais antigos esqueletos encontrados no continente, confirmou a existência de um único grupo populacional ancestral de todas as etnias da América.

 

Com isso, o rosto com traços marcadamente africanos de Luzia - como foi batizado o crânio da jovem paleoamericana descoberto na década de 1970 - foi redesenhado. O trabalho foi desenvolvido por 72 pesquisadores de oito países. 

 

Os dados mostram que todas as populações da América descendem de uma única população que chegou ao Novo Mundo pelo estreito de Bering há cerca de 20 mil anos. Os resultados da pesquisa foram publicados ontem pela revista científica Cell.