PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Missão chega ao RJ para avaliar restauro do Museu Nacional

| UNESCO | Especialistas começarão amanhã a avaliar as ações emergenciais

12/09/2018 01:30:00
NULL
NULL (Foto: )

[FOTO1] 

Uma especialista ligada à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e outro vinculado ao Centro de Estudos sobre a Preservação e Restauração de Bens Culturais (Iccrom), começam a trabalhar no Rio de Janeiro, amanhã. Inicialmente, eles avaliarão, em reunião técnica com outros especialistas locais as ações emergenciais de reconstrução e restauração do Museu Nacional do Rio de Janeiro.

 

Os especialistas que vêm na missão têm vasta experiência na área de restauro, considerando que 90% dos 20 milhões de itens do museu foram destruídos pelo fogo do último dia 2. Chefe da missão da Unesco, Cristina Menegazzi, é responsável, desde 2014, pelo Programa de Salvaguarda de Emergência do  Patrimônio Cultural Sírio, no escritório da entidade em Beirute (Líbano).

 

Doutora em Gestão de Risco de Desastres do Patrimônio Cultural pela Universidade de Viterbo-Roma, na Itália, Menegazzi atua há mais de 25 anos na área de patrimônio cultural, com foco em conservação e preservação de coleções, práticas de museus, desenvolvimento de projetos, políticas e pesquisas estratégicas, planejamento cultural, gestão de equipes e projetos, bem como na captação de recursos.

 

O outro integrante é José Luiz Perdessoli Junior, gestor de projetos de conservação de coleções do Iccrom, na Itália. Ele tem experiência nas áreas de gestão de risco ao patrimônio cultural, de ciência de materiais aplicada à preservação de bens culturais (mais especificamente de coleções em papel e materiais relacionados), de princípios científicos para a conservação e de processos de tomada de decisão para conservação do patrimônio.

 

Perdessoli é graduado em Química pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e mestre em Química de Polímeros, com ênfase nas aplicações na área de conservação de patrimônio, pela Universidade de Helsinque (Finlândia). 

 

(Agência Brasil)

 

TAGS