PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Justiça suspende sessão que votaria cassação de prefeito de Tauá

2018-06-05 01:30:00
Após reviravoltas, a Câmara Municipal de Tauá (a 336km de Fortaleza) teve sessão suspensa, ontem. Os vereadores apreciariam denúncia contra o prefeito Carlos Windson (PR) por supostas infrações político-administrativas. A sessão não foi realizada após liminar da 1ª Vara da Comarca de Tauá impedindo a votação do afastamento do prefeito. A plenária chegou a ser remarcada para hoje, mas nova liminar impede a realização.

 

O juiz Tadeu Trindade de Ávila, da 2ª Vara de Tauá, decidiu, poucas horas após a suspensão da sessão, que a suposta infração do prefeito só pode ser pautada pelo Legislativo depois que um veredito for tomado pela Justiça. Agora, os vereadores têm dez dias para apresentar informações sobre o caso.

 

A decisão de Ávila veio poucas horas após a juíza Giselli Lima de Sousa, da 1ª Vara, acatar solicitação dos vereadores Edyr Lincon e Alaor Mota, alegando que a matéria a ser discutida não foi colocada em pauta com antecedência de 24 horas. De acordo com o regimento interno da Câmara, nenhuma proposição poderá ser posta em discussão sem que tenha sido incluída na ordem do dia com antecedência mínima de 24 horas. A liminar foi expedida dez minutos antes da votação que aconteceria ontem, às 17 horas.

O prefeito pediu apoio da população. No Facebook, ele afirmou que os integrantes de sua administração estavam “conspirando contra o povo de Tauá”. Alegando tentar amenizar a crise, na tarde de sexta-feira, 1º, Carlos Windson exonerou todo o secretariado municipal.


A gestão perdeu suporte recentemente. Nas eleições de 2016, apoiado pelo deputado Audic Mota (PSB) e Chiquinho Feitosa (DEM), que é suplente do senador Tasso Jereissati (PSDB), Windson foi eleito com 50,14% dos votos. Ele derrotou Patrícia Aguiar, mulher do conselheiro em disponibilidade do TCM, Domingos Filho.


Domingos deixou a oposição e, agora, apoiará a reeleição do governador Camilo Santana (PT). Chiquinho Holanda, que antes apoiava Carlos, aproximou-se de Domingos, deixando apenas Audic apoiando o prefeito do município de Tauá.


O POVO tentou contato com o prefeito, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria. Tentamos falar com os vereadores Antônio Coutinho, Wellington Júnior e Ronaldo Filho, mas as solicitações não foram atendidas. (Samuel Pimentel e Israel Gomes)

 

POLÍTICA EM TAUÁ


O prefeito pediu apoio da população. No Facebook, ele afirmou que os integrantes de sua administração estavam “conspirando contra o povo de Tauá”. Alegando tentar amenizar a crise, Windson exonerou todo o secretariado municipal

Gabrielle Zaranza

TAGS