PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Chega a 59 o número de mortes por influenza no Ceará

2018-06-02 01:30:00

O Ceará tem 59 mortes por influenza confirmadas este ano. Outros oito óbitos ainda estão sob investigação. Os números foram divulgados ontem no boletim epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). O número de óbitos já é igual ao somatório de todos os anos anteriores da série histórica para a doença (2009-2017).
 

Desde janeiro houve um aumento significativo no número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Nos cinco primeiros meses do ano, foram 959 notificações, por diversas causas, o que equivale a 21,7% de todos os casos da série histórica. Os 372 casos confirmados de influenza até 30 de maio representam mais que o triplo dos 103 registrados em 2016, até então ano com maior incidência do vírus da gripe.
 

Fortaleza continua sendo a cidade do Estado com mais casos e óbitos em decorrência da influenza: 554 casos notificados, 238 confirmados e 26 pessoas mortas. Outras 23 cidades cearenses já registraram pelo menos uma morte por SRAG decorrente da doença.
Do total de 59 mortes por influenza, 46 foram relacionadas ao subtipo H1N1.
 

Outro dado preocupante é o de letalidade do vírus, que em comparação com o ano passado cresceu dois pontos percentuais, saltando de 13,9% para 15,9%.
 

Pessoas acima de 40 anos são as principais vítimas das complicações da influenza, sendo 33, 9% idosos (acima de 60). As crianças de 1 a 4 anos correspondem a 10,2% do total de mortes.
 

A campanha de vacinação foi prorrogada até o próximo dia 15. Segundo dados preliminares da Sesa, até às 9 horas de ontem, a imunização tinha alcançado 86% dos grupos prioritários. (Samuel Pimentel/Especial para O POVO)

 

SÉRIE HISTÓRICA 


O número de óbitos por conta do vírus influenza no Ceará em 2018 é igual ao somatório de todas as mortes nos anos da série histórica, que vem desde 2009.

TAGS