PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Piloto do PCC oferece informações para não ser preso

2018-05-03 01:30:00
A defesa de Felipe Ramos Morais ofereceu colaboração em troca de liberdade para o piloto acusado de participar do assassinato de dois membros do PCC no Ceará, em fevereiro. O pedido feito pela advogada Mariza Almeida Ramos Morais, que também é mãe do suspeito, foi negado pela Justiça do Ceará. Ele e outros seis acusados pelo crime seguem foragidos.

 

O POVO teve acesso à decisão judicial. Conforme o documento, a defesa afirma que Felipe pode colaborar com os trabalhos da Polícia, “estabelecendo a dinâmica do crime, o reconhecimento dos envolvidos, o encontro do helicóptero e das armas utilizadas”. Líderes do PCC, Rogério Jeremias de Simone, o “Gegê do Mangue”, e Fabiano Alves de Souza, o “Paca”, foram encontrados mortos em uma reserva indígena em Aquiraz.


Segundo a Justiça, apesar de o Ministério Público do Estado (MPE) ter sido favorável ao pedido de reconsideração da prisão, é preciso ponderar a existência de fortes indícios da participação de Felipe no plano que culminou no homicídio da dupla. O colegiado destaca que argumentos da defesa e revelações que colaboraram para a investigação ainda não constavam formalmente no inquérito. “Portanto, até o presente momento, não se pode concluir pela efetividade do que pretende a defesa qualificar como colaboração”, afirma.


O POVO tentou contato com a advogada de defesa, mas as ligações não foram atendidas. (Rubens Rodrigues)


Gabrielle Zaranza

TAGS