PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

MP pede dados de arma que disparou acidentalmente em evento do Governo

2018-04-18 01:30:00
NULL
NULL


Um inquérito policial militar instaurado pela Casa Militar investiga o disparo acidental que atingiu segurança do governador Camilo Santana (PT). O tiro foi da arma do próprio profissional. O caso aconteceu na manhã da última segunda-feira, 16, durante inauguração da usina de Gás Natural Renovável (GNR Fortaleza), em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza).


De acordo com o Governo do Estado, a arma que disparou por acidente ferindo a coxa do tenente R. Pereira é de propriedade do próprio policial — o que é permitido pelo regulamento. O Governo comunicou também que o armamento passou por manutenção rotineira.

Ontem, o promotor Ricardo de Lima Rocha, do Ministério Público do Estado (MPCE), ajuizou manifestação ao juiz Francisco Eduardo Torquato Scorsafava, responsável pela 9ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Fortaleza, pedindo informações sobre a arma. O integrante do MP pede que o Instituto de Criminalística informe a marca e o modelo do armamento.

Conforme o Governo do Estado, o procedimento instaurado na Casa Militar já prevê a análise da arma pela Perícia Forense do Estado (Pefoce).
 

O promotor é autor de ação na qual questiona a anulação de licitação que teve como vencedora a empresa Sig Sauer Inc para fornecimento de armas ao Estado. Ele cobra licitação internacional, pois considera que a fabricante nacional não possui armas com travas necessárias para evitar disparos acidentais. Ricardo Rocha diz ainda que a empresa teria os mesmos problemas de outras concorrentes inabilitadas. Para o MPCE, as armas põem “em risco não só os policiais que vão manuseá-las como também toda a população do Estado do Ceará”.


A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as armas adquiridas da marca Sig Sauer ainda não estão na posse da Polícia.
 

 

TAGS