PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Coreia do Norte propõe acordo nuclear em troca de segurança

2018-03-07 01:30:00

Os líderes de Coreia do Norte e Coreia do Sul celebrarão uma histórica cúpula em abril na Zona Desmilitarizada (DMZ), depois que Pyongyang ofereceu renunciar a suas armas nucleares em troca de garantias de segurança, informou, ontem, um emissário sul-coreano  

O regime norte-coreano, que está submetido a múltiplas sanções do Conselho de Segurança da ONU por seus programas nuclear e de mísseis balísticos, insistiu durante muito tempo que estes não seriam negociados.  

Mas agora está disposto a interromper tais programas, em caso de garantia da segurança nacional e de seu líder, afirmou Chung Eui-yong, conselheiro de Segurança do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, ao retornar a Seul após uma reunião com o líder norte-coreano, Kim Jong Un, em Pyongyang.  

O regime norte-coreano acredita que está sob a ameaça de uma invasão dos Estados Unidos desde que a Guerra da Coreia terminou, em 1953, com cessar-fogo, o que tecnicamente significa que as duas partes ainda estão em guerra. Pyongyang “deixou claro que não há motivos para ter (armas) nucleares caso sejam retiradas as ameaças militares contra a Coreia do Norte e se garanta a segurança do regime”, afirmou.  

Também “expressou sua vontade de manter um diálogo franco com os Estados Unidos para discutir o tema da desnuclearização e normalizar as relações” entre Coreia do Norte e Estados Unidos.  

Também ontem, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, saudou a disposição da Coreia do Norte de discutir um eventual abandono de seu polêmico programa de armas nucleares em troca de garantias de segurança. Trump avaliou que os dirigentes norte-coreanos são “sinceros” em sua oferta de diálogo, mas apontou que “são sinceros também pelas sanções e por tudo o que estivemos fazendo sobre a Coreia do Norte”.  

Já o vice-presidente americano, Mike Pence, advertiu que não diminuirá a pressão sobre a Coreia do Norte até que Pyongyang adote medidas “credíveis, verificáveis e concretas” para se desfazer das armas nucleares. Esta será a terceira reunião de cúpula entre os dirigentes das duas Coreias desde o fim da guerra entre os países, em 1953. As anteriores aconteceram em 2000 e em 2007.

A cúpula entre as Coreias acontecerá no final de abril em Panmunjom, na Zona Desmilitarizada (DMZ), e será precedida por uma conversa telefônica entre Kim Jong Un e Moon Jae-in. 

 

(AFP)

TAGS