PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Ceni: "Nós estamos menos prontos para o jogo hoje que antes da parada"

Técnico do Fortaleza se queixa de saída de cinco atletas e diz que não tem peças de reposição para posições do elenco

10/07/2019 00:12:42
Rogério Ceni lamentou mais a saída de peças que a não contratação de muitos reforços
Rogério Ceni lamentou mais a saída de peças que a não contratação de muitos reforços (Foto: Bruno Oliveira/Fortaleza/Divulgação)

A parada da Série A do Brasileiro em prol da Copa América trouxe alento ao Fortaleza quando chegou. Muitos jogadores estavam esgotados fisicamente, o departamento médico tinha muitos pacientes e o clube dava sinais que precisava se reorganizar e buscar reforços.

Durante a intertemporada, o discurso foi de recuperação de jogadores, aumento de intensidade e consequentemente de competitividade. Paralelamente, o que se viu foi a chegada de apenas uma peça, o meia Mariano Vázquez, enquanto cinco jogadores deixaram o clube (Júnior Santos, Matheus Alessandro, Patrick, Marcinho e Dodô).

O técnico Rogério Ceni fez uma avaliação deste período ontem à noite, após comandar o Fortaleza em amistoso fechado diante do Ferroviário, que terminou em 2 a 1 para o Leão, no CT Ribamar Bezerra. As palavras do comandante tricolor são preocupantes.

"Nós estamos menos prontos para o jogo (Fortaleza x Avaí, marcado para sábado) hoje que antes da parada da Copa (América)", frisou. A justificativa está na falta de peças para fazer substituições durante a partida. Ceni não escondeu o medo de perder peças, inclusive, até sexta-feira, durante os treinamentos. "Nós temos que torcer para um zagueiro não machucar e na frente, de velocidade, só tenho Osvaldo e Romarinho", lamentou.

A perda de jogadores, inclusive, incomoda mais ao técnico que propriamente a falta de reposição. Ele disse que entende as dificuldades do Fortaleza, mas citou uma possível perda de foco.

"Nós estamos tentando trazer jogadores, mas infelizmente o tempo passou, e passa, muito rápido. A vitória contra o Cruzeiro, a gente perde o foco do que precisa e também não esperávamos a perda de tantos jogadores de frente, de velocidade, então hoje não temos substituição de jogadores de velocidade e isso preocupa bastante a gente. A gente vive a realidade de acordo com as possibilidades do clube", disse.

Rogério Ceni destacou que o Fortaleza hoje tem crédito no mercado e está com a folha de pagamento em dia, o que pode servir como atrativo no mercado. Grandes nomes, porém, não devem chegar ao Tricolor. "As pessoas esperam grandes contratações, eu não entendo como isso acontece, tem que ser de acordo com a arrecadação que seu time tem", justificou o ex-goleiro.

Para o jogo contra o Avaí-SC, o comandante do Leão praticamente descartou a participação do recém-chegado Mariano Vázquez e do atacante Edinho. O primeiro, além de ainda não estar regularizado, ainda precisa se adaptar ao estilo de jogo de Ceni e o segundo segue sentindo dores. "Edinho não deve ter condições nem de ir no banco, mas vamos avaliar. Ele treinou um pouquinho, sentiu incômodo. Fibrose sempre incomoda, então temos que aguardar até sexta-feira para saber", avaliou Ceni.

O treinador não antecipou a escalação para o jogo contra o Avaí e não confirmou o time que lançou a campo diante do Ferroviário.

Base

O Fortaleza subiu os jogadores Renê, zagueiro, e Romário, meia, para o profissional, para testes. "São meninos, muito jovens e verdes para uma Série A", disse Ceni

Brenno Rebouças