PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Fortaleza inicia recesso com balanço sobre expulsões e atuação do VAR

Rogério Ceni lamentou expulsões de atletas em seus últimos três jogos, mas também questionou critérios da arbitragem para punir o Tricolor.

14/06/2019 01:30:36
Ceni reclamou da suposta falta de critérios no uso do VAR no Brasileirão
Ceni reclamou da suposta falta de critérios no uso do VAR no Brasileirão (Foto: Fabio Lima/Fabio Lima)

Brasileirão agora só em julho. Ontem, o Fortaleza deu início ao período de 12 dias de descanso, aproveitando a parada da Série A em prol à Copa América. O Tricolor curtirá a folga após cumprir a primeira missão do time no Campeonato: entrar no hiato fora da zona de rebaixamento. Até aqui, tudo conforme o planejado. O que fugiu do controle do Leão foi a questão disciplinar.

Nas últimas três partidas, o Leão teve jogadores expulsos. Contra o Athletico-PR, pela Copa do Brasil, o lateral-esquerdo Carlinhos recebeu cartão vermelho. No sábado, contra o Grêmio, foi a vez do atacante Osvaldo. Na última quarta-feira, contra o Cruzeiro, expulsão de Nathan deixou o time com um a menos em campo. Em meio à sequência, ficou a bronca do técnico Rogério Ceni e da diretoria quanto ao tratamento dado pela arbitragem ao Fortaleza.

"Tem um investimento muito grande para colocar o aparelho (VAR) aqui. Pra um árbitro ter convicção, ele tem que ir olhar no vídeo. Estão havendo diferentes critérios para utilização do equipamento. Eu não falo de ser beneficiado e sim ter um critério justo", afirmou Ceni, que chega ao ponto de dizer que, na condição do técnico do Fortaleza, hoje votaria contra o VAR no Brasileirão.

Virando a página, Ceni acredita que a pausa pode ser bastante benéfica para o Tricolor. "A parada pode significar uma melhoria na qualidade do teu futebol e de todos os outros times, mas a parada não garante vitória pra mim. Ela me garante a volta do Edinho, do Osvaldo, do Wellington (Paulista), do Roger Carvalho, do Kieza, de muitos jogadores que estão lesionados e a recuperação de muitos que estão esgotados", refletiu.

Outro ponto na pauta é a necessidade de reforços. Segundo o treinador, pelo menos dois jogadores devem chegar para reforçar o clube. A diretoria, por sua vez, garante estar de olho no mercado. "Vamos analisar também as oportunidades que surgirão na abertura da janela de transferências internacionais", pontuou Daniel de Paula, diretor de futebol do Fortaleza.

Bruno Balacó