PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Balanço: como está o desempenho dos jogadores comprados pelo Ceará em 2019

Dos dez atletas em que o Ceará investiu para contar no elenco, apenas quatro vêm figurando no time titular

07/06/2019 01:32:23
Após uma ótima temporada 2018, Leandro Carvalho foi comprado por R$ 3,6 milhões.
Após uma ótima temporada 2018, Leandro Carvalho foi comprado por R$ 3,6 milhões. (Foto: Júlio Caesar)

Pagar multas rescisórias, comprar direitos econômicos de jogadores e ter protagonismo no mercado da bola fez o Ceará ser observado de outra maneira nesta temporada. Exatamente no meio do ano O POVO apresenta um balanço de retorno técnico que os investimentos feitos trouxeram ao clube.

Uma quantia superior a R$ 12 milhões foi despendida nesse sentido em dez jogadores: Richard, Luiz Otávio, Samuel Xavier, Cristovam, João Lucas, William Oliveira, Fernando Sobral, Wescley, Leandro Carvalho e Vitor Feijão. Destes, apenas quatro atualmente estão atuando no time titular e um deles tem desempenho questionável até aqui.

Além do zagueiro Luiz Otávio, do lateral-direito Samuel Xavier e do meia Fernando Sobral, o atacante Leandro Carvalho tem sido constante nos últimos jogos do Vovô. O rendimento, porém, está abaixo do esperado. São apenas três gols em 15 partidas e substituições consecutivas nos últimos três jogos.

"O Leandro, mesmo não fazendo tantos gols, vem participando e é importante no aspecto tático e técnico para o time. Ele pode render mais, é óbvio, a gente sabe disso, o jogador também está tentando se aperfeiçoar cada vez mais", saiu em defesa do atacante, o executivo de futebol do Ceará, Marcelo Segurado. Carvalho custou R$ 3,6 milhões ao Vovô, que detém 60% dos direitos econômicos dele.

Para Segurado, somente um dos investimentos ainda não trouxe o retorno técnico esperado, mas o clube tem perspectivas de um rendimento a longo prazo. "O (jogador) que a gente não teve nesse primeiro momento um retorno técnico foi o (Vitor) Feijão, mas eu tenho certeza de que ele vai ter oportunidade. É jovem e a gente emprestou (para o Guarani-SP) justamente para ele estar disputando um campeonato difícil, que é a Série B, para ele voltar pronto", explicou o dirigente. O atleta assinou contrato de três anos.

O investimento em 60% de Vitor Feijão custou R$ 200 mil ao Ceará, que também gastou a mesma quantia para trazer o lateral-direito Cristovam — que não joga desde a eliminação do Alvinegro nas quartas de final da Copa do Nordeste.

Contundidos, o goleiro Richard e o volante William Oliveira tiveram poucas chances de contribuir com o clube. O primeiro está fora de combate por seis meses por lesão de ligamentos, mas vinha sendo contestado pelo torcedor. Custou R$ 1,5 milhão, por 50% dos direitos. Já o segundo voltou a treinar com bola e tem previsão de retorno para agosto. Foi o investimento mais barato da diretoria, que adquiriu 100% do atleta por R$ 100 mil.

Jogador mais caro da história do futebol cearense, Wescley, que demandou R$ 4,4 milhões para ser liberado do futebol chinês, jogou apenas nove partidas e não marcou. O meia está na reta final da transição e deve retornar aos gramados em breve.

"Quando você contrata um jogador não tem absoluta certeza que ele vai ter o retorno técnico que você espera, porque existem as variantes, de contusão, de lesão, do momento técnico não estar bem, mas a conclusão que tenho é que foram (os investimentos feitos) favoráveis", disse Segurado.

 

Brenno Rebouças