PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Cervejinha Liberada

|Após Sanção| Partida entre Fortaleza e Athletico-PR, amanhã, será a primeira a com venda de bebidas alcoólicas no Castelão. No domingo, jogo do Ceará também terá

15/05/2019 00:56:19
Nos últimos anos, torcedores só puderam consumir bebida alcoólica dentro do Castelão durante a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014
Nos últimos anos, torcedores só puderam consumir bebida alcoólica dentro do Castelão durante a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014 (Foto: Iana Soares, em 19/6/2013)

A venda de bebidas alcoólicas nos estádios cearenses volta a ser uma realidade a partir de amanhã, no jogo entre Fortaleza e Athletico-PR, pela Copa do Brasil. A comercialização será colocada em prática seis dias depois da sanção do governador Camilo Santana à Lei 16.873.

A permissão é que sejam vendidas bebidas com teor alcoólico de, no máximo, 10%, mas O POVO confirmou com representantes de Fortaleza e Ceará que somente cerveja será disponibilizada inicialmente. Os dois clubes trabalham juntos nos bastidores para manter um padrão nos jogos de ambos no Castelão - o Ceará passará a vender bebidas em seus jogos no domingo, na partida contra o Grêmio.

Há regras estabelecidas pela Lei para a comercialização das cervejas. Além da apresentação do documento de identidade por parte do consumidor, cada pessoa só poderá comprar, por vez, dois copos. A venda acontecerá exclusivamente nos bares - ambulantes não vão trabalhar com o produto - e terá que ser encerrada aos 30 minutos do segundo tempo.

Quanto ao preço das bebidas, será variado, mas os dirigentes garantem que pelo menos uma opção terá preço compatível com o praticado fora do estádio e servirá para atrair o torcedor mais cedo para a parte interna, especialmente nos dias em que houver Fan Fest (em jogos do Fortaleza) ou Vila Alvinegra (em jogos do Ceará). os valores repassados para o consumidor serão definidos até o fim da tarde de hoje, junto com os demais detalhes de fornecimento e regularizações.

Os primeiros jogos com a venda de bebidas servirão como testes para Fortaleza e Ceará. Juntos, os clubes pensam em fechar contrato de exclusividade com alguma cervejaria, mas como ainda não existe estimativa de venda - afinal, são quase 16 anos sem esse tipo de consumo nos estádios - é necessário um período para mensuração.

Amanhã, três marcas de cervejarias diferentes estarão disponíveis para os torcedores. Haverá também cervejas artesanais, feitas no Estado do Ceará, já que a lei garante a estas uma cota de 20% da oferta. Os preços serão variados.

O torcedor que comprar bebidas fora do estádio precisa consumir antes de entrar no Castelão. A Lei veda a entrada na praça esportiva portando o produto.

A diretoria do Fortaleza informou que todo o dinheiro arrecadado com a venda de cerveja será destinado ao departamento de patrimônio do clube, que tem à frente Rolim Machado, segundo vice-presidente. Uma das obras beneficiadas, por exemplo, será a transformação do Estádio Alcides Santos em centro de excelência.

A preocupação dos dois times nas primeiras experiências de retorno da comercialização de álcool é que tudo ocorra conforme a lei e não haja qualquer tipo de problema, para evitar novas proibições.

Brenno Rebouças

TAGS