PUBLICIDADE
Jornal

Venda de camisas do Ceará gera reclamações

Edição limitada

A grande procura da torcida do Ceará por um uniforme retrô em comemoração ao pentacampeonato de 2002, lançado às vésperas do Clássico-Rei de hoje, surpreendeu o próprio clube e gerou reclamações de torcedores.

Em contato com O POVO, o Departamento de Comunicação do Ceará explicou que a camisa histórica, inicialmente, seria usada apenas pelos atletas na partida contra o Fortaleza. Depois, o clube resolveu disponibilizar uma edição limitada para comercialização.

Na manhã de ontem, 9, a busca dos torcedores foi intensa e rapidamente todas as unidades foram vendidas para quem conseguiu chegar a tempo. Como o Ceará não comunicou em seu site que o estoque era limitado, muita gente se irritou quando chegou às lojas e não havia mais a camisa do penta de 2002.

O interesse obrigou o Alvinegro a providenciar a fabricação de mais uniformes. No entanto, o Departamento de Comunicação do Ceará informou que ainda não há data para a chegada de nova remessa.

O Ceará esclareceu ainda que as camisas foram fabricadas por uma empresa que já presta serviços ao clube. Inclusive, na confecção de outros materiais.

De acordo com o Departamento de Comunicação tudo ocorreu com liberação da Topper, fornecedora de material esportivo do clube. Negando, assim, que houvesse algum tipo de falsificação dos produtos comercializados.

Diretores do Ceará se reunirão com executivos da Topper, na próxima semana, para decidir sobre a logística do novo lote de camisas. Provavelmente, a fornecedora retomará a produção.

TAGS