PUBLICIDADE
Jornal
GP DA AUSTRÁLIA

Temporada da Fórmula 1 começa na madrugada deste domingo

Com promessa de ser uma das temporadas mais disputadas dos últimos anos, Mundial de Pilotos começa na madrugada de amanhã

16/03/2019 02:12:55
Hamilton, da Mercedes, busca o sexto título da carreira e terceiro consecutivo
Hamilton, da Mercedes, busca o sexto título da carreira e terceiro consecutivo (Foto: Glenn Nicholls / AFP)

Luzes apagadas e é dada a largada: a Fórmula 1 (F1) está de volta. Na madrugada de amanhã, às 2h10min, 20 pilotos de dez equipes começaram, em Melbourne, na Austrália, a temporada 2019 da maior categoria de automobilismo. E, dessa vez, com carros cada vez mais velozes. Algo que não deve ter mudado, porém, é que o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, e o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, devem disputar o título corrida a corrida.

A escuderia atual campeã da categoria anunciou a manutenção dos pilotos principais ainda durante a temporada passada. Hamilton segue com o finlandês Valtteri Bottas como companheiro. Embora a Mercedes tenha falado na pré-temporada que seus carros estavam cerca de cinco segundos atrás dos da Ferrari, a escuderia alemã mostrou já nos treinos livres em Melbourne que não é bem assim. Hamilton liderou os dois primeiros testes sem grandes dificuldades.

Já na Ferrari, a situação inverteu da pré-temporada para hoje. Mostraram força há algumas semanas, em Barcelona, mas chegam em Albert Park, atrás da Mercedes - embora não muito. Vettel falou que "sente o mesmo carro da pré-temporada, mas não responde correto ao que eu quero". A grande mudança para 2019 na escuderia é que o companheiro de equipe do tetracampeão mundial é o monegasco Charles Leclerc, de 21 anos, que substitui o veterano Kimi Räikkönen, 39, agora na Alfa Romeo.

Na Red Bull, atual terceira força da F1, uma melhora. Apesar de ainda correrem por fora, com Max Verstappen, os austríacos estão mais próximos de Ferrari e Mercedes do que nunca. O holandês tem possivelmente o melhor carro da carreira até então, e deve brigar por vitórias com maior consistência. Resta saber se as informações da pré-temporada se confirmarão durante o ano. No time dos energéticos, o francês Pierre Gasly substitui o australiano Daniel Riccardo, que foi para a Renault.

A escuderia francesa segue como "líder do resto". A diferença para as três maiores escuderias parece ter encurtado, mas ainda há disparidade de investimento para Mercedes, Ferrari e Red Bull. A Renault tem a concorrência da Toro Rosso, Haas, Racing Point (antiga Force India), Alfa Romeo (antiga Sauber), McLaren, e a Williams ainda sendo a pior do grid.

Gerson Barbosa/ ESPECIAL PARA O POVO