PUBLICIDADE
Jornal

RETA FINAL DO FAMINTO JOSÉ ALDO

| PERTO DA APOSENTADORIA | Brasileiro tem mais duas lutas no contrato com o UFC. Caso ganhe uma chance de revanche com McGregor, Aldo garante que "história seria diferente"

ALDO tem um cartal de 32 lutas, com 28 vitórias na carreira. Ele foi campeão dos pesos-penas do UFC entre 2011 e 2015
ALDO tem um cartal de 32 lutas, com 28 vitórias na carreira. Ele foi campeão dos pesos-penas do UFC entre 2011 e 2015

O público cearense pôde ver de perto uma das últimas lutas de um dos maiores nomes do MMA. O manauara José Aldo, que já anunciou que se aposenta no fim deste ano, nocauteou Renato Moicano, quebrou o protocolo ao se jogar na galera e foi o atleta mais festejado na noite de 13 lutas do UFC em Fortaleza. O evneto foi realizado no ginásio do Centro de Formação Olímpica, que até dezembro passado operava de forma irregular, sem Habite-se e Alvará de Funcionamento.

Quem acreditava em um lutador desmotivado dentro do octógono, diante da aposentadoria anunciada, enganou-se. Pelo contrário, Aldo mostrou que segue com gana de luta e quer se despedir em grande estilo. O "campeão do povo", como é chamado pelos fãs, tem planos de pendurar as luvas com o cinturão do peso-pena, faltando duas lutas para o fim do contrato com a organização.

Aldo quer voltar a lutar o quanto antes e já se colocou à disposição para integrar o card do UFC em Curitiba, previsto para maio. Com 32 anos, o atleta tem carreira vitoriosa no UFC, tendo se tornado o primeiro campeão do peso-pena - no qual reinou entre 2011 e 2015 até perder o cinturão para o irlandês Conor McGregor.

O ex-campeão da categoria se animou com possível chance de revanche contra McGregor. Depois do término do UFC em Fortaleza, o irlandês disse em redes sociais que adoraria lutar no Brasil, assim como se impressionou com a "atmosfera incrível".

"Eu vi. Que coisa linda! Para mim seria ótimo. Não sei se essa luta que ele falou que tinha fechado no Rio se era comigo, se era comigo não chegou até a mim (o brasileiro Rafael Dos Anjos foi o oponente oferecido a Conor)", avaliou Aldo.

O manauara lembrou que, em 2015, não teve tempo de mostrar o seu trabalho diante do irlandês, já que foi nocauteado em 13 segundos. "Mas se a gente tivesse outra oportunidade, pode ter certeza que a história seria diferente", afrimou.

Outros nomes também surgem como possíveis rivais de Aldo, como Brian Ortega, desafiante número 1 da categoria.

"Lógico que seria (luta interessante). Acho que todo mundo que está bem ranqueado no peso-pena seria. Antes disso, coloquei uns 15 nomes na mesa do Dana (White, presidente do UFC) e perguntei qual era a real situação que eu estava na categoria. Dei uma lista de nomes e todos esses fazem parte do meu cardápio, e quero comer", comentou.

TAGS
NULL