PUBLICIDADE
Jornal

Carro com material de jogo do Ferroviário chegou a ser abordado

Susto. Antes da estreia

11/01/2019 01:30:00
Além de Ceará e Fortaleza, o Ferroviário também tem sentido o impacto do momento de tensão no Estado e os reflexos para o Tubarão da Barra são até mais diretos.

 

A começar pela sede do clube. Há dois dias, o estádio Elzir Cabral sofre com oscilação e quedas de energia em alguns pontos. O problema é oriundo de poste próximo do local, com problemas na fiação. A Enel já foi comunicada do ocorrido, mas até agora não mandou equipe para verificar o problema.

 

Dez carros da empresa de distribuição de energia foram incendiados nos nove dias de ataque registrados até o momento. A Enel até retomou atendimentos, mas de forma restrita em localidades onde forem identificadas situações de risco.

 

Apesar do incômodo, isso não foi o que de mais grave aconteceu com o time coral. No dia do jogo de estreia do Campeonato Cearense, sábado passado, diante do Atlético-CE, funcionários do clube que levavam o material de jogo até o estádio Presidente Vargas (PV) passaram por grande susto.

 

Na avenida Jovita Feitosa, a cerca de 10 minutos do PV, o carro com funcionários - que pediram para ter os nomes preservados - foi fechado por outro. Quatro pessoas deixaram o interior do veículo e fizeram ameaças. Eles chegaram a pedir para que as pessoas que estavam no carro com o material do Ferroviário saíssem, mas quando perceberam que se tratava de carro do clube, resolveram liberá-los e deixaram o local.

 

Os funcionários do Tubarão não souberam explicar exatamente se tratava-se de uma tentativa de furto do veículo ou se a intenção do grupo era incendiar o automóvel. Quanto à rotina de treinamentos, no entanto, permanece a mesma. Nenhuma orientação específica foi dada aos jogadores, segundo a direção do Peixe.

 

O POVO entrou em contato com a Federação Cearense de Futebol (FCF), relatou o ocorrido e questionou sobre medidas de segurança para os dias de jogos. A assessoria de imprensa da entidade disse desconhecer o ocorrido, informou que antes das partidas existem reuniões de tomada de providência com a participação de órgãos de segurança e que não recebeu nenhuma recomendação da Polícia.

 

O POVO tentou contato com o Coronel Farias, titular do Batalhão de Eventos, mas as ligações não foram atendidas. (Brenno Rebouças)

 

TAGS