PUBLICIDADE
Jornal

As peças que faltam

| Elenco | Rogério Ceni ainda quer meia armador, centroavante de referência e zagueiro canhoto

01/02/2019 03:47:39
ROGÉRIO Ceni comanda o Fortaleza, que quer impedir o tri do maior rival
ROGÉRIO Ceni comanda o Fortaleza, que quer impedir o tri do maior rival

Dono do meio de campo, com toque refinado para distribuir o jogo. É este o perfil de jogador que o Fortaleza ainda não tem neste início de temporada. A falta do tal "camisa 10" clássico ficou ainda mais evidente após a segunda partida do Tricolor em 2019, empate sem gols em casa contra o CSA.

A busca por um atleta para ditar o ritmo do time é uma das prioridades do clube no mercado. Por enquanto, Rogério Ceni tem improvisado o atacante Éderson para jogar atrás do centroavante, numa espécie de 10 adaptado. E a equipe tem sentido em campo a falta do toque final para deixar os jogadores de frente em uma posição favorável para marcar.

Diante do CSA, por exemplo, o Leão teve dificuldades para invadir a área do fechado rival. Um meia armador poderia quebrar a marcação com um passe entre os zagueiros.

Ceni deixou claro ainda que o elenco precisa de um "camisa 9 de referência", com estilo semelhante ao de Gustavo. Os centroavantes do time no momento - Éderson, Júnior Santos e Pedro Júnior -, têm um perfil de mais movimentação.

Sem essas duas peças, o treinador alerta para uma possível queda na quantidade de gols por partida em relação a temporada passada, quando Dodô e Gustavo desempenhavam os papéis-chave.

"Os gols vão rarear em função desse homem de referência. Principalmente por não ter o homem de área e não ter o camisa 10 de origem. Não tem nem aquela bola que pode trabalhar, nem a jogada pelo lado tem o mesmo poder aéreo", justificou Ceni.

Do elenco atual, o treinador acredita que Madson possa exercer a função de meia armador. Entretanto, o jogador precisa entrar em forma "o mais rápido possível". "É talentoso e tem um bom passe enfiado entre os zagueiros", detalhou o técnico. Por estar fisicamente abaixo do ideal, o baixinho ainda não foi relacionado para partida oficial.

Além do centroavante e o meia armador, Ceni espera ganhar mais uma opção para a zaga. O Fortaleza tem três zagueiros de origem: Patrick, Roger Carvalho e Juan Quintero, que ainda não estreou.

Segundo o treinador, a diretoria precisa ser bastante certeira para contratar as peças que faltam, tendo em vista que "70% a 80%" do orçamento previsto para a folha de pagamento do elenco foram utilizados.

Lucas Mota

TAGS