PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

A volta do artilheiro

|CAMISA 9 DO LEÃO| Reserva contra o Oeste, atacante Gustavo deve retornar ao time titular contra o Paysandu

01:30 | 16/10/2018

Começar um jogo no banco de reservas é uma cena rara para Gustavo no Fortaleza. Desde chegou ao clube, no início da temporada, o centroavante só viveu essa situação quando retornou de lesão, após dois meses parado, quando tratou uma fratura no antebraço. Mas por opção do técnico Rogério Ceni, o artilheiro tricolor em 2018, com 26 gols, acabou preterido no time titular, vendo Ederson entrar em seu lugar na partida contra o Oeste, sábado passado, em Barueri. A condição de reserva, contudo, parece ter sido pontual. Ao justificar a barração de Gustagol, o treinador explicou que a escolha ocorreu apenas por "opção tática", tendo em vista a proposta de jogo que o Leão tinha para o duelo contra o time paulista.

 

"A opção de jogar com Ederson foi apenas para fazer o time jogar mais pelo chão (e menos pelo alto, que é o ponto forte de Gustavo, forte no cabeceio). O Oeste é um time que joga sem um 9 (centroavante), portanto tem um estilo de jogo rápido e precisa me adequar a isso", comentou Ceni, após o jogo em Barueri. Diante disso, a tendência é que Gustavo reassuma seu posto de titular no próximo jogo da equipe na Série B do Brasileiro, no sábado, contra o Paysandu, na Arena Castelão.

 

Para além da questão tática, Gustavo não vive boa fase e acumula uma seca de oito jogos sem marcar. O último tento do centroavante foi na vitória por 2 a 1 sobre o Londrina, no dia 25 de agosto, em jogo da 23ª rodada. Contra o Oeste, Gustavo entrou aos 33 do 2º tempo na vaga de Ederson que, apesar não ter balançado as redes, teve duas ótimas chances de marcar, uma em voleio e outra em cabeceio, forçando o goleiro Tadeu a duas boas defesas.

 

O retorno do artilheiro do Leão pode não ser a única novidade do time para encarar o Papão. Sem problema de jogadores suspensos e com praticamente todo o elenco à disposição, o treinador tem a opção de voltar a montar a linha ofensiva com três atacantes, escalando, se quiser, Romarinho ou Ederson ao lado de Gustavo e Marcinho. Caso isso ocorra, Ceni teria que abrir mão de um jogador de meio-campo, sacrificando Felipe, Dodô ou Nenê Bonilha - que voltou ao time há duas partidas, após quase um mês ausente, por lesão na coxa.

 

A montagem da equipe para a próxima partida começa hoje, na reapresentação do time, marcada para as 16h, no CT Ribamar Bezerra.

 

LÍDER 

 

Com 57 pontos em 31 jogos, o Fortaleza segue líder da Série B do Campeonato Brasileiro desde a quinta rodada. O Tricolor é o único time que soma mais de 60% dos pontos disputados

BRUNO BALACó