PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Fim do Esporte Interativo na TV põe em dúvida transmissão de torneios como Copa do Nordeste

01:31 | 10/08/2018
O Esporte Interativo transmitiu a decisão da Série D entre Ferroviário e Treze Julio Caesar
O Esporte Interativo transmitiu a decisão da Série D entre Ferroviário e Treze Julio Caesar

O futebol cearense, assim como o de todo o Nordeste, será diretamente impactado com o fim dos canais Esporte Interativo (EI) na TV, anunciado ontem pelas redes sociais. A continuidade da transmissão de competições como a Copa do Nordeste e as Série C e D, que ganharam espaço de destaque nunca visto numa emissora de canal fechado, tem futuro incerto diante da atual situação.

 

O torcedor cearense pôde ver conquistas relevantes pela TV, como o título do Ceará na Copa do Nordeste em 2015, a trajetória do Fortaleza na Série C até o acesso em 2017 e a campanha histórica do Ferroviário na Série D 2018.

 

Garantidos na edição da Copa do Nordeste em 2019, os dirigentes Ceará e Fortaleza afirmam que não foram procurados até o momento, mas adotam postura de tranquilidade diante do momento de indefinição. O Esporte Interativo possui direito de transmissão da competição até 2022, além de contratos com os clubes participantes que envolvem cotas que chegam a R$ 26,4 milhões para o próximo ano.

 

"A Copa do Nordeste é um produto importante. Se não houver continuidade dos atuais (detentores), eles vão primeiro cumprir as cláusulas do contrato, e o mercado vai assumir a competição, que tem grande repercussão", afirmou o presidente do Ceará, Robinson de Castro.

 

Vice-presidente do Fortaleza, Marcello Desidério espera que os contratos sejam honrados. "É um produto que transcende o canal de televisão. Se não for com ela (emissora), garanto que a competição não acaba", disse. O POVO não conseguiu contato com o presidente do Ferroviário, Walmir Araújo.

 

Campeonatos estaduais do Nordeste, como o Cearense, devem deixar de ser transmitidos pela emissora, mas o impacto será bem menor, tendo em vista a tradição da transmissão dos estaduais pela Rede Globo. O presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio, aguarda definição, mas conta que as federações do Nordeste já começaram a se movimentar. "Tem que ver como vai ficar a posição da CBF em relação ao torneio (Nordestão). Ainda não nos comunicaram nada oficialmente. O contrato da transmissão do Cearense termina em 2019."

 

A Liga Nordeste, por meio de nota, assegurou "a continuidade do crescimento financeiro da competição". Segundo a entidade, os contratos comerciais com a Turner serão cumpridos, assim como as cotas aprovadas para o torneio de 2019.

 

A decisão pelo fim do Esporte Interativo na TV é do grupo Turner, dono da emissora esportiva. Os principais produtos do canal, como a transmissão da Liga dos Campeões da Europa e do Campeonato Brasileiro (a partir de 2019), serão exibidos nos canais TNT e Space, da mesma companhia.

 

Entre as razões do fim do EI na TV, estão o alto custo para manter dois canais no ar e dos direitos de transmissão das competições e retrações do mercado publicitário e de TV por assinatura, como afirmou o gerente geral do grupo Turner no Brasil, Antônio Barreto, em entrevista ao site Tela Viva.

 

Nordestão 

 

Ceará e Fortaleza vão receber na 1ª fase do torneio, em 2019,  R$ 3,12 milhões, conforme a cota aprovada. Os times estarão na mesma chave, de acordo com o regulamento

LUCAS MOTA