PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Novo nove na área

Em um mesmo dia, Ederson é anunciado, treina com o novo time e é apresentado oficialmente. Jogador promete ser o centroavante que o Tricolor precisa hoje

01:30 | 26/07/2018
O cearense Éderson foi artilheiro da Série A de 2013, pelo Atlético-PR Divulgação/Fortaleza EC
O cearense Éderson foi artilheiro da Série A de 2013, pelo Atlético-PR Divulgação/Fortaleza EC

O camisa 9 que o torcedor do Fortaleza tanto ansiava e que Rogério Ceni cansou de cobrar nas coletivas pós-jogo finalmente chegou ao Pici. Nada de surpresas. Ederson, que há semanas era especulado como reforço do Leão, finalmente assinou contrato. A demora no acerto foi até encarada com bom humor pela comunicação do clube, que o anunciou com a frase “acabou a novela”.

Cearense de Pentecoste, ele estava no Natal desde que findou seu vínculo com o Atlético Paranaense, em 30 de junho. Ficou mantendo a forma com o elenco do ABC e assim que chego a um acordo com a diretoria do Fortaleza, pegou um avião e desembarcou na capital cearense. Ontem mesmo ele já treinou no Pici, com o restante do grupo.

Na apresentação oficial, motivação e otimismo não faltaram. “Eu chego pronto para fazer gols. Sou atacante, vivo disso. Gosto de jogar bastante centralizado, como um camisa 9, mas com opção de ficar me movimentando, bem à vontade”, disse o novo reforço tricolor.

Como credencial, o jogador de 29 anos citou a campanha de 2013, quando também vestiu a camisa do Atlético-PR e foi artilheiro da Série A do Brasileiro, com 21 gols. Nesta temporada ele também foi líder na artilharia do Campeonato Paranaense, com 9 gols.

Apesar de recém-chegado, Ederson deve viajar com a delegação para o Rio Grande do Sul hoje à tarde. Como estava livre ao ser contratado, a regularização dele deve sair até sexta-feira. Sobre condição física, o jogador minimiza. “Se não der no físico, eu boto no coração para correr mais um pouquinho”, compromete-se.

A camisa do Fortaleza não era a única opção que o jogador tinha para vestir ainda nesta temporada. Ele teve um motivo específico para optar pelo Tricolor. “Financeiro não foi, porque tive propostas melhores. Eu vim pelo projeto do clube. Quando o presidente ligou eu falei que estava feliz com a procura dele e senti verdade no que ele disse”, disse.

É bom que o atacante consiga entrosamento rápido e dê frutos ao Leão, pois ele é a última cartada da diretoria tricolor para a função de centroavante. “Com a vinda do Ederson, não vamos mais trazer outro camisa 9. Nossos três são Gustavo, Wilson e Ederson”, avisou o presidente Marcelo Paz.

Ele não descartou, porém, a vinda de mais uma peça para outro setor, dando um passo atrás no que havia afirmado antes, que o time só tinha dinheiro em caixa para mais uma contratação.

BRENNO REBOUçAS