VERSÃO IMPRESSA

Alto custo da Copa deve sair do bolso do povo russo

01:30 | 14/07/2018

Ao custo de US$ 14 bilhões, algo em torno de R$ 53 bilhões, conforme o The Moscow Times, a Copa do Mundo da Rússia custou o dobro do montante investido na Copa do Brasil — que foi, segundo dados de dezembro de 2014 do Tribunal de Contas da União (TCU), de R$ 25,5 bilhões. Assim como no Brasil, pairam dúvidas e críticas de quais serão os usos dos estádios após a Copa.


Preocupado em afastar as críticas, o comitê organizador tem pautado que a infraestrutura dos transportes, em detrimento da estrutura esportiva, foi o principal investimento e onde os recursos públicos foram concentrados.


O comitê projetava, antes mesmo da Copa, que o Mundial representaria um impacto de U$ 15 bilhões no PIB da Rússia neste ano. O valor pode parecer alto, mas não passa de o,3% do PIB do país, e, segundo, consultoria especializadas em Rússia não deve passar de um estímulo residual na economia na ordem de 0,1% a 0,2%, da leve alta de 1,5% a 2% estimada para 2018.


De acordo a agência Deutsche Welle, durante a Copa, o governo russo aprovou o aumento da idade mínima para aposentadoria e um plano de aumento de tributos sobre preços de mercadorias e serviços. Acredita-se que, mesmo sem a Copa, as medidas seriam aprovadas, mas, conforme a DW, a população russa deve sentir os efeitos a partir de já. Como forma de pagar os altos custos da competição, russos já estão pagando mais caro para obtenção de documentos federais e despesas como água, eletricidade e administração do lixo, que são cobradas de forma central pelas grandes empresas (antes estatais), também aumentaram, em média, 4%. (Domitila Andrade)

TAGS