VERSÃO IMPRESSA

Ferroviário vai zerar dívidas trabalhistas até fim de maio de 2018

Ferroviário até o fim deste mês de maio todas as dívidas trabalhistas serão encerradas, garante o clube

01:30 | 11/05/2018

[FOTO1]

O Ferroviário está prestes a marcar um golaço fora de campo. Até o final desse mês, o clube planeja zerar as suas dívidas trabalhistas. O feito foi possível graças a uma série de acordos que a diretoria elabora desde o fim de 2017. Assim, graças aos valores de cota de TV e participação que a equipe obteve com Copa do Nordeste e Copa do Brasil em 2018, foi viabilizado o pagamento de débitos de R$ 1,2 milhão.

 

“Começamos uma força-tarefa em novembro do ano passado, porque a gente sabia que teríamos alguns lucros com participações em quatro competições (em 2018, o time disputou ainda o Campeonato Cearense e ainda joga a Série D do Brasileiro). No fim de 2017, a Justiça do Trabalho penhorou 30% de todas as nossas cotas arrecadadas. Recorremos e conseguimos fazer com que essa taxa fosse baixada para 10%”, destacou ao O POVO Rodger Raniery, diretor jurídico do Ferroviário.


Além da vitória na esfera jurídica, Rodger conta que o clube conseguiu êxito em todas as negociações com os ex-funcionários que reivindicavam pagamentos na Justiça. “Reunimos todos os reclamantes e conseguimos fazer acordos, acertando o valor das parcelas. Graças a Deus já estamos muito próximos de fechar tudo. Já estamos com 95% das causas trabalhistas resolvidas. Só faltam quatro ou cinco casos. Acredito que, no máximo, até o fim de maio as nossas dívidas trabalhistas estarão completamente zeradas”, cravou.


Apenas com a cota da Copa do Brasil de 2018, competição onde o time avançou até a 4ª fase, sendo eliminado pelo Atlético-MG, o Ferroviário arrecadou R$ 4,3 milhões. Um valor que superou todas as expectativas de orçamento que o clube tinha para esta temporada. “Esse valor gerou pra gente a possibilidade de se livrar das dívidas de forma imediata, deu uma acelerada, porque já íamos zerar mais cedo ou mais tarde. Ajudou muito”, frisou Rodger.


Com a participação na Copa do Nordeste em 2018, o clube faturou R$ 600 mil. “Tudo o que arrecadamos entre o ano passado e 2018 está sendo investido também na reforma da sede do clube (a Vila Olímpica Elzir Cabral). Pagamos todos os bichos (gratificações aos atletas) pelas classificações na Copa do Brasil e investimos pesado também em contratações para a Série D do Brasileiro”, pontuou o presidente do Ferroviário, Walmir Araújo, em entrevista à Rádio O POVO/CBN.

 

Depois de quitar as dívidas trabalhistas, o próximo foco do Ferroviário é a conquista do acesso para a Série C do Brasileiro. “Se conseguimos subir de divisão, com certeza chegaremos fortalecidos em 2019, montando um elenco para seguir forte na briga do título cearense”, projetou Raniery. Líder do grupo A4 da Série D, o Ferroviário entra em campo amanhã, as 16h, para enfrentar o Interporto-TO, no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza

 

SÉRIE D

 

Com cinco pontos em três jogos, o Ferrão lidera o grupo A4 da Série D e enfrenta o Inteporto-TO, amanhã, no PV, pela quarta rodada da competição

 

 

BRUNO BALACÓ

TAGS