VERSÃO IMPRESSA

Com apoio de federações, Caboclo é eleito presidente da CBF

01:30 | 18/04/2018

Marco Polo del Nero está afastado da presidência da CBF. Suspenso pela Fifa e investigado por suspeita de corrupção, não pode nem pôr os pés na sede da CBF, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro.


Mas continua forte como antes. Graças a isso, elegeu o presidente da entidade para o período entre abril de 2019 e abril de 2023 com tranquilidade que talvez nem ele imaginasse. Rogério Caboclo foi eleito ontem quase por unanimidade.


A eleição de Rogério Caboclo era favas contadas. Candidato único, fez do pleito mera formalidade. Mas talvez não esperasse que até os oposicionistas Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), e Rubens Lopes, que comanda o futebol no Rio de Janeiro, votassem nele. Pois votaram, o que lhe valeu 81 pontos, já que os outros presidentes de federações fizeram o mesmo.


Rogério Caboclo também teve o voto de 17 dos 20 clubes da Série A e dos 20 da Série B. Assim, somou um total de 135 pontos. Até os contrários a ele usaram artifícios diferentes do “não”. Andrés Sanchez votou em branco pelo Corinthians. O Flamengo se absteve e o Atlético Paranaense não compareceu.


Agradecido, Rogério Caboclo prometeu governar com e para os clubes. “Estou comprometido com quem nos apoiou. Estaremos sempre juntos. Sou leal a todos os que me acompanham”, comentou, prometendo gestão “marcada pela eficiência da CBF e pela integridade”.


Única voz a bater em Caboclo, Andrés Sanchez ficou preocupado com o discurso do presidente eleito: “Como ele falou no discurso, quem o apoiou vai ter todo o apoio. Quem não apoiou...”.

GABRIELLE ZARANZA

TAGS