VERSÃO IMPRESSA

Estreia do Leão. Discreto, Ceni quase não chamou atenção

01:30 | 18/01/2018

Feliz e muito suado. Assim Rogério Ceni terminou sua primeira partida à frente do Fortaleza. Usando camisa e calça sociais - e não o uniforme com seus próprios patrocinadores -, assim como fazia no São Paulo, o técnico só demonstrou não estar muito acostumado ao clima de Fortaleza ainda. 

Com o clube, porém, mostrou sintonia. Apesar de discreto, não perdia a oportunidade de passar orientações quando um atleta chegava perto do banco de reservas, por vezes extrapolando a área técnica.

Com as mãos no bolso e braços cruzados, reclamou algumas vezes com o árbitro reserva, ao discordar de decisões do árbitro principal. No meio do primeiro tempo, chegou a chamar Wesley, o primeiro substituto que lançaria a campo mais tarde, e ao pé do ouvido demonstrou alguma movimentação em campo. 

As interações com o auxiliar, Nelson Simões, em pé, ao lado do banco de reservas, durante todo o jogo, também eram constantes. Numa prancheta colocada acima da cobertura do banco, Ceni anotava detalhes esporadicamente. 

Não roubou a cena no primeiro jogo. Ofuscado por Gustavo, passou quase despercebido. Antes de a bola começar a rolar, porém, as câmeras estavam todas voltadas para ele. A partida de ontem marcou a retomada da carreira de Ceni como técnico 199 dias após seu último jogo à frente do São Paulo.

TAGS