PUBLICIDADE
Jornal

No jogo final contra o CSA, Zago terá de refazer o ataque do Leão

Precisando da vitória para conquistar título da Série C, Fortaleza pode ter mudanças no setor ofensivo para jogo de volta contra o CSA

16/10/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Uma coisa pareceu muito clara ao Fortaleza na derrota por 2 a 1 para o CSA, no último sábado, 14, no Castelão. Apesar da superioridade tática do time alagoano no primeiro jogo da final da Série C, faltou ao Tricolor poder de finalização para conseguir um resultado que lhe fosse mais favorável. Jô, Hiago e Leandro Cearense até tiveram boas oportunidades, mas pecaram na hora de finalizar o que dificultou a vida do Fortaleza. O vacilante desempenho ofensivo abre brecha para mudanças no ataque.


Na coletiva pós-jogo, o técnico Antônio Carlos adotou o tom mais cauteloso, tanto para falar que nada está perdido como para despistar sobre eventuais trocas no time titular do jogo de volta da final contra o CSA, às 19 horas do próximo sábado, 21, em Maceió.

[QUOTE1]

O centroavante sentiu na última semana um desconforto na parte posterior da coxa esquerda e era dúvida para o jogo de ida. Porém, ele já vinha sendo preterido em relação Leandro Cearense, titular no último sábado. Isso porque Lúcio Flávio foi aos poucos perdendo espaço após seguidos jogos sem marcar. A última vez que balançou as redes foi há mais de dois meses (5 de agosto) contra o ASA, em Alagoas.


Zago mencionou que Lúcio Flávio estará recuperado nesta semana, dando indícios que pode escolhê-lo — e não Leandro Cearense — como titular no comando do ataque.


Quem certamente não estará no time que enfrenta o CSA é Jô. Ele, que já entrara no time para substituir o lesionado Éverton (torção no tornozelo direito) foi suspenso pelo terceiro cartão amarelo.


Como a probabilidade de Éverton retornar ainda é remota, a tendência é que Ronny e Gabriel Pereira disputem a posição no ataque. O primeiro é mais cotado por manter mais consolidado o meio-campo tricolor. O segundo marcou o gol tricolor no último sábado e daria mais ofensividade à equipe que precisa vencer por dois gols de diferença para ser campeã da Série C.

João Marcelo Sena

TAGS
NULL