PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

De quase dispensado a titular, Ligger pode fazer história no Fortaleza

De quase dispensado a titular absoluto, zagueiro Ligger tem oportunidade de marcar seu nome no Pici como um dos jogadores que mais vezes vestiu a camisa do Fortaleza na campanha do acesso à Série B

01:30 | 13/09/2017

Ligger foi titular em 17 das 18 partidas que o Fortaleza fez até agora nesta Série C do Brasileiro JULIO CAESAR
Ligger foi titular em 17 das 18 partidas que o Fortaleza fez até agora nesta Série C do Brasileiro JULIO CAESAR
Depois de ter passado por altos e baixos na temporada, o Fortaleza, enfim, chegou ao momento mais esperado no ano. Agora é preciso concentração total nos dois jogos contra o Tupi-MG. Serão esses 180 minutos que definirão o futuro do Tricolor, que pode, enfim, conseguir o sonhado acesso à Série B do Brasileiro. Feito que, se conquistado, terá um sabor ainda mais especial para o zagueiro Ligger, um dos principais personagens na campanha leonina na Terceirona.
 

Sem ser muito aproveitado por Hemerson Maria e Marquinhos Santos no início do ano, Ligger pouco atuou nas ruins campanhas no Campeonato Cearense e na Copa do Nordeste. Como estava “escanteado”, seu nome chegou a ser cogitado em listas de dispensa no clube, mas após a chegada de Paulo Bonamigo o defensor deu a volta por cima. Firmou-se na zaga e, apesar da troca de Bonamigo por Zago, se manteve intocável na posição. 

Ligger atuou em 17 das 18 partidas do Tricolor na Série C. Todas como titular, totalizando 1.497 minutos em campo. É o segundo atleta de linha que tem mais minutos jogados na competição — atrás somente do volante Pablo (1.611) e do goleiro Marcelo Boeck (1.530) — e tem a chance de entrar para a história do Fortaleza como um dos jogadores que mais vezes vestiu a camisa do clube na campanha do acesso. 

Mas ele sabe que só será capaz disso se o desfecho deste ano for diferente do de temporadas passadas. Por isso, não esconde a ansiedade para ver o Castelão lotado no sábado, para os primeiros 90 minutos da decisão. “Quero que o tempo passe logo. Quanto mais demora, mais impaciente eu fico. Não vejo a hora de chegar a partida pra gente pôr em prática tudo que trabalhou. Vai ser casa cheia e espero que possamos fazer uma grande partida”, afirmou, minimizando o fato de decidir a classificação fora de casa. 

“Isso é muito relativo. Já joguei esse tipo de decisão, com dois jogos, decidindo fora de casa, e conseguimos o objetivo. Nos últimos anos o Fortaleza decidiu em casa e não deu certo. Neste ano vai ser diferente, e espero que o final também seja”.

Ligger é a única certeza na zaga do Leão para o duelo de sábado. Edimar é dúvida e, se não atuar, Rodrigo Mancha formará o setor. Nos próximos dias, Zago definirá quem será seu companheiro.

ANDRé ALMEIDA