PUBLICIDADE
Jornal

O grande desafio de Antônio Carlos Zago no Fortaleza

Treinador tem tempo curto de trabalho para ajustar o time, garantir a classificação para o mata-mata e manter vivo o sonho do acesso

23/08/2017 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]
Antônio Carlos Zago tem a chance de cravar seu nome, desta vez de forma positiva, na história do Fortaleza, após retrospecto de “carrasco” em um passado recente. Substituindo Paulo Bonamigo, o paulista de 48 anos tem menos de um mês para fazer engrenar a equipe que caiu de produção e viu a pressão do torcedor aumentar com a sequência de três jogos sem vitória.
 

A melhora do time precisa ser rápida. No domingo, contra o CSA-AL, no Castelão, o técnico encara a primeira partida das três que faltam para o Tricolor alcançar a classificação para o mata-mata da Série C do Brasileiro e manter vivo o sonho do acesso.
 

“É um tempo curto para o treinador, mas os jogadores já estão acostumados, vêm de uma rotina de treinamentos e viagens. O importante é dar seguimento ao trabalho (de Bonamigo) junto com os auxiliares e as pessoas que já estavam aqui. É uma questão de dar uma acertadinha em algumas coisas para que a equipe volte a vencer e consiga o objetivo”, disse Zago, ontem, no Pici, na primeira coletiva à imprensa.
 

Ele avalia que o elenco do Leão está acima da média para a Terceirona. Com pouco tempo para implantar toda a sua filosofia de trabalho, o treinador diz que buscará reforçar os treinos táticos. “A gente espera simplificar o máximo possível para que os jogadores entendam o que queremos. É importante a equipe ter o controle de jogo na posse de bola no campo do adversário”.

MOTIVAÇÃO

Zago afirmou que comandar o Fortaleza é o maior desafio da carreira dele como treinador. “Por vários fatores. Pelo momento, por tudo que viveu nos últimos anos. É um desafio muito grande. Esperamos que tudo termine da melhor maneira possível, com o acesso. Até pelo fato de deixar o time na Série B, que é uma equipe elite do futebol brasileiro, no ano mais importante de sua história (2018), por conta do centenário”. 


O treinador pode apagar as lembranças negativas deixadas no torcedor tricolor, quando esteve no lado oposto, nas derrotas marcantes do Fortaleza para o São Caetano, que culminou no rebaixamento em 2009, e na eliminação em casa para o Juventude, em 2016.
 

“Lembrei bastante daquilo que tinha dito no ano passado (lamentando o Tricolor não ter conseguido o acesso). Tenho uma gravação no meu celular de um amigo meu que veio do Mato Grosso do Sul para ver o jogo aqui, no Castelão lotado. Estou muito contente com esse novo desafio”. 

 

Números

 

1 Acesso da Série C para B consta no currículo de Zago. Foi em 2016, com o Juventude-RS
 

8 Clubes Zago já comandou. Os de maior projeção nacional foram Inter-RS e Palmeiras 

Lucas Mota

TAGS