PUBLICIDADE
Jornal

Jogando na Fares Lopes, Magno Alves segue em jejum de gols pelo Ceará

Sem espaço na Série B, Magno Alves voltou a jogar pelo Ceará na Taça Fares Lopes, mas só conseguiu uma assistência e segue em jejum de gols

23/08/2017 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Quase 600 torcedores foram ao estádio Presidente Vargas ontem, ver a estreia do Ceará na Taça Fares Lopes diante do Tiradentes. A atração principal era Magno Alves, escalado como titular. Sem espaço no time na Série B do Brasileiro, o camisa 11 do Vovô tentava encerrar o jejum de gols que hoje chega aos 130 dias, mas não teve sucesso.
 

O atacante finalizou quatro vezes e na melhor delas, parou no goleiro Eduardo. Com desempenho discreto, o momento de maior brilho do Magnata foi quando deu assistência para Leandro Carvalho fazer o segundo gol do Ceará, aos 42 do primeiro tempo e fechar o placar de 2 a 0. Todos os jogadores correram para abraçá-lo.
Mais ansioso que o Magnata estava o torcedor. Bastava o atacante pegar na bola para os incentivos ecoarem na arquibancada. Qualquer chute certo, corrida ou dividida era motivo de aplausos.
 

“A gente se sente mal em saber que ele não está feliz. Magno é ídolo. Ele já fez muito pela gente”, disse Pedro Igor, 24, confessando ter ido ao jogo pelo atleta. “Se ele for bem aqui (Fares Lopes), pelo menos no banco ele pode voltar a ir na Série B”, apostou Regisvan Rodrigues, 24.
 

Magno Alves também parece acreditar nisso. Sem espaço na Segundona — a última vez que jogou como titular foi diante do Internacional, na 13ª rodada —, pediu para jogar o torneio.
 

“Fica aquele vazio de gol. Quando não sai gol a cobrança é grande, mas eu estou preparado, trabalhando, me dedicando bastante para quando voltar a ter essa oportunidade contribuir com meus companheiros”.
 

O técnico Marcelo Chamusca estava no PV e disse ao O POVO que a Taça Fares Lopes servirá para dar ritmo de jogo a alguns profissionais, bem como revelar alguns valores da base. Não há, porém, uma lista de atletas cedidos especificamente para a competição local. “Não tem um grupo definido, vai depender de cada semana, uma hora pode ser mais, outra hora menos. Por exemplo, hoje o Magno tá jogando, semana que vem pode não estar”.
 

Consciente do mau momento, o ídolo alvinegro sabe o que a Fares Lopes pode render para si. “É uma oportunidade de entrar, manter o ritmo. Tenho que mostrar um pouco mais, mas (mostrar) futebol não preciso mais”.

BRENNO REBOUÇAS

TAGS