VERSÃO IMPRESSA

Jogos espaçados do Ceará divide opiniões entre jogadores

01:30 | 08/04/2017
O espaçamento entre os jogos do Ceará no Estadual deste ano tem chamado atenção. Nos últimos 33 dias, o Vovô jogou apenas quatro vezes.

 

O maior período entre partidas é fruto da eliminação precoce na Copa do Brasil, que tem datas previstas dentro do calendário do futebol cearense, e da Primeira Liga.


Com apenas o Estadual, Givanildo Oliveira vem tendo tempo para trabalhar com o time do Ceará.


Para enfrentar o Guarani de Juazeiro, no segundo jogo da semifinal, são mais onze dias só com treinos em Porangabuçu — sendo que dois já passaram.


O volante Raul, no entanto, não se mostra satisfeito com o hiato de jogos. O atleta acredita que o momento de intensidade menor de jogos já passou.


“Deveria ser avaliado isso aí. No começo da temporada a gente teve 15 dias (de pré temporada) e já teve um jogo. Era partida quarta, domingo e quarta de novo. Não tinha nem tempo para treinamento. E agora, quando chega em um momento (decisivo) desse, a gente passa 10 ou 15 dias sem jogar. Acho que deveria ter uma avaliação melhor sobre isso”, reflete.


Já o lateral Tiago Cametá entende que a espera é positiva, para que o treinador faça correções na equipe.


“É bom, porque foi a primeira vez que o Givanildo enfrentou o Guarani-J e viu os pontos fortes deles. Agora a gente vai trabalhar na semana para que no jogo de volta dê tudo certo”, disse.


ADRIANO NOGUEIRA

TAGS