VERSÃO IMPRESSA

Chapecoense e Atlético Nacional fazem jogo que entra pra história

Com festa e emoção, Chapecoense e Atlético Nacional iniciam decisão da Recopa Sul-Americana na Arena Condá, em Chapecó

01:30 | 04/04/2017

[FOTO1]
Exatamente 125 dias depois da tragédia aérea que matou 71 pessoas — entre jogadores e membros da comissão técnica e da diretoria da Chapecoense, além de jornalistas e tripulantes —, a partida entre Chapecoense e Atlético Nacional vai acontecer. Não será em Medellín, na Colômbia, como seria a primeira final da Copa Sul-Americana, mas sim na Arena Condá, em Chapecó (SC), às 19h15, pelo duelo de ida da decisão da Recopa Sul-Americana.
 

Ontem, a delegação do Atlético Nacional, atual campeão da Copa Libertadores, chegou à cidade catarinense e foi recebida com muita festa e emoção. Muitas homenagens foram preparadas por autoridades e torcedores catarinenses.
 

Na pista do aeroporto Serafim Enoss Bertaso, a descida da aeronave que transportava os colombianos foi recepcionada com um portal de jatos d´água, feito por caminhões do Corpo de Bombeiros, em um tipo de homenagem comum na aviação. Em seguida, os integrantes da comissão técnica, jogadores do clube e o prefeito de Medellín, Federico Gutiérrez, passaram por um corredor de jogadores da base do time brasileiro com camisas e bandeiras das duas agremiações.
 

Todos foram cumprimentados pelo prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e pelo presidente da Chapecoense, Plínio Davi De Nês Filho. Um dos sobreviventes do acidente aéreo ocorrido em novembro do ano passado, o radialista Rafael Henzel, distribuiu medalhas especiais com a mensagem “campeões do mundo em respeito e solidariedade”. Houve muita emoção na festa programada para agradecer o carinho dos rivais após a tragédia do dia 29 de novembro de 2016.
 

Após deixar o aeroporto, a delegação da equipe colombiana seguiu de ônibus para o hotel onde está hospedada e foi recepcionada por centenas de torcedores da Chapecoense. O Atlético Nacional também fez um treino de reconhecimento na Arena Condá.
 

Com um time totalmente remodelado — mais de 20 jogadores e uma nova comissão técnica, agora sob o comando de Vágner Mancini, foram contratados —, a Chapecoense encara o Atlético Nacional em um bom momento. Lidera o Campeonato Catarinense e faz boa campanha na Copa Libertadores. Já os colombianos, que venderam vários atletas no final do ano, buscam melhor entrosamento para a sequência da temporada.

TAGS