VERSÃO IMPRESSA

Por causa de "gato", Paulista é excluído da Copa São Paulo

Por causa de jogador com fraude na documentação, Paulista é excluído da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Time disputaria a final amanhã, contra o Corinthians

01:30 | 24/01/2017
[FOTO1]

A alegria deu lugar à frustração em Jundiaí, no interior de São Paulo, e o Paulista, que iria decidir amanhã a Copa São Paulo de Futebol Júnior com o Corinthians, foi eliminado ontem pela utilização de um jogador com idade adulterada, o famoso “gato”. O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) confirmou a punição e que o zagueiro Brendon não é quem dizia ser, porque seu documento seria uma fraude.


O atleta tem atuado com o nome de Brendon Matheus Araújo Lima dos Santos, que nasceu em 1997 e está preso no Rio de Janeiro por tráfico de drogas e roubo. O jogador do Paulista, na verdade, é o primo de Brendon, Heltton Matheus Cardoso Rodrigues, que nasceu em 1994 — logo, não poderia disputar a competição.


O limite de idade da Copa São Paulo é de 20 anos e ele fará 23 ainda em 2017.


O jogador também pode ser punido criminalmente.


O presidente do TJD-SP, delegado Antonio Olim, anunciou que a decisão da entidade se deu após investigação. “O Batatais nos comunicou sobre a irregularidade e descobrimos que o Brendon está preso. Pedimos que o Paulista apresentasse o jogador até às 14 horas e isso não aconteceu. Apenas mandaram um B.O.
(Boletim de Ocorrência) que ele sumiu”.


Dentre outras provas, foi constatado que Heltton — com o nome de Brendon — tinha uma Certidão de Nascimento como se fosse natural do Rio de Janeiro, mas seu RG constava o Ceará como local onde nasceu. Além disso, a certidão estaria no livro 80 de registro do Rio de Janeiro. Mas a página não existe nos cartórios cariocas.


Assim que o caso foi divulgado, no sábado, o jogador negou a irregularidade. Horas depois, teria desaparecido.


O CLUBE

A diretoria do Paulista, que acatou a decisão do TJD-SP e da Federação Paulista de Futebol (FPF), registrou B.O.. Agora, quem disputa a final é o Batatais.

 

“Somos vítimas e de nenhum modo partícipes desta eventual fraude e nos colocamos à disposição da FPF para esclarecimentos”, diz nota assinada pela presidente, José Verdugo Diaz.


O TJD-SP, por enquanto, não deve dar maiores punições ao time de Jundiaí, que poderia ser suspenso por até cinco anos conforme prevê o regulamento prevê para casos de irregularidades de inscrição.


“Acredito que o Paulista foi na boa fé e colocou o garoto. Se a gente descobrir que o clube também está envolvido, ele será punido”, explicou o delegado. (AE)

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS