VERSÃO IMPRESSA

O olhar no porvir

Estamos atentos às mudanças no consumo da informação

01:30 | 18/01/2018

Em tempos de fake news e pós-verdade, muitos fizeram – e ainda fazem – crer que o jornalismo está perecendo. Pelo contrário. É preciso olhar o porvir e acreditar que só com o jornalismo – o bom jornalismo – construiremos um novo futuro.


É desafiador o momento atual. Vivemos uma verdadeira revolução na indústria da comunicação. Não há estabilidade definitiva no tempo presente. Tudo parece estar em constante transformação. E como provocou, certa vez, o escritor Gabriel García Márquez: “Os jornais não são mais donos da notícia”. Por isso, faz-se necessário acreditar em mudanças e provocá-las.


A mais longeva publicação em circulação no Ceará nasceu com olhos no futuro. Desde sua primeira edição, há exatos 90 anos, O POVO dispunha-se a “descortinar o mundo, vencendo distâncias”. Tomamos as reminiscências deste começo como motriz para mais uma metamorfose.


Um redesenho não apenas estético, mas que passa pelo conceito do jornalismo que fazemos, na reestruturação da equipe de jornalistas e no produto que entregamos a você todos os dias. Um produto vitalizado editorialmente, influente e sintonizado com os desejos de quem nos lê, nos acessa, nos ouve, enfim, consome notícia.


Além do nosso compromisso com a qualidade e com a credibilidade, estamos atentos às mudanças que ocorrem no consumo da informação, a novos formatos e novas narrativas e, principalmente, com um olhar que percorre em 360 graus, em múltiplas plataformas. Desde 1928, O POVO continua a conjugar verbos como inspirar, antever, provocar e, antes de tudo, surpreender.


Ana Naddaf

DIRETORA-EXECUTIVA DA REDAÇÃO

GABRIELLE ZARANZA

TAGS