VERSÃO IMPRESSA

Inovação e vitalidade

01:30 | 18/01/2018
[FOTO1]

Mais do que uma mudança de projeto gráfico, a nova roupagem do jornal O POVO reflete o espírito de constantes inovações adotado pelo Grupo de Comunicação O POVO nas diversas plataformas em que está presente. As diferentes linguagens com as quais o grupo trabalha têm buscado novas estratégias para repensar a forma de se fazer jornalismo. Além do jornal impresso, isso pode ser sentido por quem acompanha as produções para televisão, rádio, portal e mídias sociais, além de outros projetos do O POVO.


Para o vice-presidente do Grupo de Comunicação O POVO, João Dummar Neto, manter um pensamento disruptivo, buscando constantes melhorias para a produção jornalística, reflete a preocupação da empresa em manter leitores, ouvintes e anunciantes sempre atualizados. “Na verdade, o nosso cliente está mudando todo dia. Está sendo impactado cotidianamente com transformações e precisamos acompanhar isso”, afirma.


Adotar novo projeto gráfico e editorial aos 90 anos, para o vice-presidente, é um sinal de vitalidade. “É um jornal que tem 90 anos e tem a preocupação de lançar um projeto que aproxima o jornal do leitor, da comunidade e, por consequência, do anunciante.” Além disso, ele destaca a capacidade de se trabalhar a informação de maneira transversal. “A informação passa pelo jornal, pelo rádio, pela tv, pelo portal. Nós sabemos trabalhar a informação para que ela fique na mão de quem interessa, do consumidor, do ouvinte, do internauta, do cliente”, pontua.


Por esse diálogo entre as diferentes mídias, o novo momento para o Grupo de Comunicação O POVO tem reflexo em toda a produção. Segundo Ana Naddaf, diretora de Redação do jornal O POVO, a mudança acontece em um momento em que o mercado precisa de “um novo olhar” para a área. “A mudança não é do jornal. O redesenho olha uma mudança para o jornalismo, que é nossa matéria-prima, nosso insumo. É um redesenho do jornalismo e de qualquer suporte em que ele seja aplicado”, explica.

[QUOTE1]

Além da produção jornalística, João Dummar Neto destaca, como inovadores, projetos realizados em diálogo com a sociedade e com o mercado, com atenção às demandas atuais. Entre eles está a pesquisa Great Place to Work (GPTW), em parceria com o Instituto GPTW, para premiar, anualmente, as 50 melhores empresas para se trabalhar no Ceará. “É um projeto reconhecido pelas empresas e utilizado em seus portfólios, em suas campanhas, como sendo um diferencial competitivo”, afirma.


Outra iniciativa citada é o Seminário Futura Trends, realizado pela Fundação Demócrito Rocha (FDR) e pelo Grupo de Comunicação O POVO com palestras que abordam temas relevantes em negócios, políticas governamentais e mudanças geopolíticas. “É um projeto executado buscando trazer informação para o alto executivo cearense”, aponta. Em 2017, foi realizada a sétima edição do evento. (Por Gabriela Custódio)

 

 

O final de 2017 trouxe novidades também para a TV O POVO. Com nova parceria para a Fundação Demócrito Rocha (FDR), a TV passa a transmitir programação do Canal Futura, da Fundação Roberto Marinho. “Foi uma conversa que começou há poucos meses, mas evoluiu de um jeito muito bom e rápido porque desde o inicio percebemos muito claramente várias afinidades e complementaridades possíveis entre as duas fundações”, explica Marcos Tardin, diretor da Fundação Demócrito Rocha e da TV O POVO.



Em 2017, o O POVO Online recebeu uma mudança estrutural. Com hierarquia mais clara entre as notícias e destaque para as mais lidas, o portal proporciona nova experiência de leitura. “Com a participação dos leitores, por meio de testes de usabilidade e acessibilidade, o portal foi redesenhado, editorias foram agrupadas e a performance foi melhorada, sempre focando nos dispositivos móveis”, afirma Victor Chidid, diretor de mercado leitor e estratégia digital do O POVO.



Para investir em produções diferenciadas, o Grupo de Comunicação O POVO conta ainda com o LAB 282. Com equipe multifuncional, o núcleo é uma redação independente que produz conteúdos customizados, tanto em formato impresso quanto digital. “A área nasceu de um projeto anterior chamado Núcleo de Conteúdo & Negócios, mas foi se sofisticando e ganhando poder para a construção de mais publicações e todas com olhar multiplataforma”, explica Adailma Mendes, editora-executiva do LAB 282. “O LAB 282 é uma forma disruptiva de conexão do mercado com seu público-alvo através de projetos customizados”, expõe Filipe Dummar de Azevedo, gerente de Planejamento e Negócios do LAB 282.

 

GABRIELLE ZARANZA

TAGS