VERSÃO IMPRESSA

Fortaleza posto à prova

01:30 | 24/01/2017

[FOTO1]
 

Chegou a hora do primeiro grande desafio do Leão na temporada. A Copa do Nordeste é a competição que escancara os erros e acertos do período de pré-temporada. Serve também de termômetro para o Campeonato Brasileiro, se o elenco não sofrer desmonte ao término da competição. E para quem começou o Estadual sob desconfiança, ir bem no Nordestão significa passar uma borracha em qualquer primeira má impressão.
 

A estreia, logo diante do outro favorito do grupo, o Bahia, é exatamente o que Hemerson Maria precisa para saber o que tem na mão e trazer o torcedor para o seu lado. Largar bem e diante de uma forte equipe dá moral. Será a primeira Copa do Nordeste do comandante tricolor e alguns atletas do grupo, como Juninho Potiguar e Marcelo Boeck. Outros, como Gastón e Allan Vieira conhecem bem o torneio e podem ser importantes para ajudar o grupo a encontrar um bom caminho para seguir na competição.
 

Fazer uma boa Copa do Nordeste simboliza ainda para o Fortaleza uma afirmação como grande força da Região. E um possível título aliviaria, por um momento, angústias remoídas há quase uma década.
 

A rentabilidade da competição também é uma excelente para o Leão, que com boas presenças de público no estádio e cotas de avanço pode trazer peças para fortalecer ou corrigir o elenco.
 

A meta é quebrar a barreira das quartas de final — fase que o Tricolor não ultrapassa há dois anos — e superar a participação de 2013, quando caiu nas semifinais diante do Santa Cruz, sempre mirando o título.

 

FORTALEZA
 

TÉCNICO: HEMERSON MARIA
FEC: 4-3-1-2
 

MARCELO BOECK
FELIPE
HEITOR
LIGGER
ALLAN VIEIRA

JEFFERSON
GASTÓN
LÚCIO
FLÁVIO
RODRIGO ANDRADE
ANDERSON UCHÔA
GABRIEL PEREIRA 

 

BAHIA
FAVORITO

o embalo do acesso para a Série A do Brasileiro fez o Bahia começar o ano montando uma forte equipe. Nomes como Armero, Allione e Wellington Silva chegaram ao grupo, que manteve a espinha dorsal do ano passado. Guto Ferreira foi mantido à frente do time e já testou o elenco em dois jogos internacionais, na Flórida Cup. Com pinta de favorito, o tricolor baiano quer a primeira orelhuda. 

 

ALTOS
AZARÃO

Franco atirador é a melhor definição para o Altos. Time de menor expressão no grupo, tem apenas dois anos de futebol profissional. Empolgado com a boa campanha na Série D, quer surpreender. Perdeu peças importantes, como o atacante Gênesis, mas buscou reposição e trouxe atletas como Felipe Macena, ex-América-RN. O treinador é Francisco Diá, atual vice-campeão do Nordeste. 

 

MOTO CLUB
CORRE POR FORA

Sem favoritismo sobre os ombros, o Moto Club-MA trabalhou na reformulação quase total do elenco, ficando apenas com três atletas do time titular do ano passado. A prioridade é o bicampeonato estadual, mas há intenção de avançar para o mata-mata da Copa do Nordeste. Dentre os contratados, o maior destaque é o lateral Tote, que tem título brasileiro da Série D. Ruy Scarpino é o técnico. 

TAGS