VERSÃO IMPRESSA

O que fazer a uma semana das provas

00:00 | 26/11/2017
[FOTO1]

Falta exatamente uma semana para as provas do Tribunal Regional Federal da 5ª região (TRF 5). Mais de 111,8 mil candidatos estão na disputa pelas 14 vagas imediatas e mais cadastro de reserva em diversos cargos de técnico (nível médio) e analista (nível superior) no Ceará e em mais cinco estados. Confira as dicas dos especialistas ouvidos pelo O POVO sobre o que priorizar nesta reta final de preparação.


O coach do Estratégia Concursos, Luís Eduardo Pereira, explica que o ideal é buscar o melhor custo-benefício para otimizar o tempo que falta. Para quem já conseguiu ver toda a teoria, por exemplo, fez anotações, resumos, e mapas mentais, ele recomenda focar neste material para revisar o conteúdo e alternar com exercícios. Mas para quem não está neste nível de preparação, agora não é mais o momento de aprender conteúdo novo, e sim priorizar a resolução de questões da banca. “É procurar resolver o maior número de questões possíveis até o dia da prova”.


Ele diz que pelo perfil da banca organizadora, a Fundação Carlos Chagas (FCC), é de se esperar provas com muita ‘letra seca’ para os cargos de técnico e uma incidência um pouco maior de jurisprudência e aplicação prática nas provas de analista.


O professor Gustavo Brígido, diretor do cursinho de mesmo nome, lembra que em função da estabilidade e da remuneração – no TRF 5 a remuneração inicial para técnico começa em R$ 6,3 mil e de analista em R$ 10,4 mil - este é o tipo de concurso em que a disputa é acirradíssima, com notas de corte elevadas.


“Não é concurso para amadores. É um pessoal que já vem estudando há dois, três anos e que já vem fazendo outros concursos na área de tribunais, a exemplo do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT-CE), o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE)”.


Por isso, ele recomenda cuidado na hora de marcar as questões e, principalmente, atenção com a redação. “Sem dúvida, é o que vai fazer a diferença para muitos candidatos”.


Diferente de outros tribunais, os concursos de TRF não têm uma disciplina que seja considerada carro-chefe, como por exemplo o direito eleitoral é para o TRE ou o direito do trabalho é para o TRT, por outro lado, o conteúdo é mais extenso.


O professor do Gran Cursos Online, Elias Santana, reforça também que as provas de português costumam ter um nível de dificuldade maior na FCC. “E é uma disciplina que acaba se tornando eliminatória porque os candidatos costumam tratar com certo desdém”.

[FOTO2][FOTO3]

IRNA CAVALCANTE

TAGS