PUBLICIDADE
Jornal

Concorrência alta exige antecipação dos estudos

29/07/2017 17:00:00
NULL
NULL

A autorização para realização de concurso e a formação de comissão interna é um indício forte de que o certame está próximo. Não existe uma lei específica, mas, em média, após estas etapas, o edital costuma sair em até seis meses. E deste para prova, o tempo é mais curto, pode ser que ocorra em 45 dias ou em três meses. Por isso, a recomendação dos especialistas é de que não espere a publicação do edital para começar a estudar.


“Até mesmo em função da crise, com o desemprego em alta, a procura pela estabilidade do serviço público aumenta. A concorrência destes concursos deve vir bem acirrada, principalmente os de maior remuneração. O ideal é que quando sair o edital, o candidato já tenha estudado todas as matérias básicas”, explica o coordenador do Tiradentes Concursos, Maurício Braz.


A estudante de administração, Hanna Caroline Rodrigues, 22, já começou a sua preparação para o concurso do Detran. Além dos livros que já tem em casa, ela está em um cursinho preparatório e procura baixar vídeo-aulas e PDFs pela internet. “Eu já estagiei em um órgão público e gostei muito, tem mais qualidade de vida, além da remuneração que é melhor que na iniciativa privada”.


Porém, para quem não sabe exatamente que carreira seguir, o ideal é definir primeiro o foco. “Um dos erros mais comuns cometidos pelos candidatos é sair atirando para todos os lados. Cada prova tem peculiaridades e a aprovação depende de muito estudo”, afirma Luís Eduardo Pereira, do Estratégia Concursos.


Disciplinas como português, direito administrativo, direito constitucional e informática são consideradas básicas para qualquer concurso. Mas, no caso do Detran, por exemplo, também tem legislação de trânsito. E no dos tribunais do trabalho, é recomendado estudar logo direito do trabalho e processual do trabalho.


Um ponto de partida é tomar como base o que foi cobrado no último edital do órgão. E ficar atento a como as provas vem sendo cobradas em concursos mais recentes em outros estados. “E quando sair o edital vai adaptando”, explica o professor de Direito do Centro de Estudos Renato Saraiva (Cers online), João Paulo Oliveira.


Ele reforça que o processo de aprendizagem se mostra mais eficaz quando realizado de forma constante e com exercícios. “Estudar é hábito”.


Maurício Braz também destaca que é fundamental entender também como a banca organizadora costuma cobrar as questões. “As bancas têm perfis muito diferentes, por isso é importante conhecer e fazer exercícios daquela banca para ir se familiarizando”.


Eles reforçam, no entanto, que o fato dos concursos públicos terem sido retomados com maior intensidade neste segundo semestre e de haver necessidade de servidores não significa que os aprovados serão convocados imediatamente e que o avanço das convocações dentro do cadastro de reserva, que ocorreram de forma maciça nos concursos anteriores, se repetirá. “Vai depender muito da disponibilidade orçamentária e da retomada da economia”, afirmou Braz.

[FOTO1]

Adriano Nogueira

TAGS