PUBLICIDADE
Jornal

Em sintonia consigo mesmo

10/06/2017 17:00:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Diante das exigências por altas performances no mercado de trabalho, é necessário pensar na importância do tempo de lazer ao se falar em carreira. “Os prazeres da vida são pilares para se ter alto rendimento. Imagine que o profissional trabalha com uma carga pesada, com muitos desafios cotidianos. Se ele não conseguir trazer novas energias para esse processo, a semana vai perdendo força”, avalia Fernando de Vincenzo, consultor de carreira na Produtive.


Sócia da Trajeto RH, Angélica Guidoni não recomenda “sacrificar” o tempo de lazer. “É complicado porque a criatividade vem do equilíbrio com um pensamento mais livre, leve e frio”. Ela indica, portanto, que cada pessoa localize dentro de si aquilo que mais lhe dá prazer e entre em sintonia com seus valores individuais.


Isso quer dizer que não há uma fórmula de como utilizar melhor o tempo livre. Cada um tem que descobrir a sua, e não deixar se levar sempre apenas pelo que um parente próximo ou amigo deseja fazer. “Tem que existir uma liberdade interna, conectar-se com você e sua necessidade. Quem está estressado e exausto não consegue uma solução para um problema”, afirma Angélica.

[QUOTE1]

Imprescindível ao processo de autoconhecimento está “fazer uma pesquisa interna” de quais atividades costumava realizar quando criança ou adolescente e que deixou para trás devido ao ritmo acelerado do trabalho. Se possível, reinventá-las. “Para quem gostava de brincar na rua com os amigos, a diversão pode ser um piquenique com a família. Dessa forma, é possível permanecer junto com as pessoas”, diz.


Aliviando a semana

Para que a semana não a “consuma totalmente”, Ruth procura planejá-la e organizá-la com antecedência. Resumindo, levanta a bandeira da descontração, sem perder de vista a disciplina. “Horário do trabalho é horário do trabalho. E se não aproveitasse meus dias de folga, talvez minha semana fosse bem mais estressante”.

 

Ao contrário de Ruth, a contadora de empresas, Juliana Ricarte, de 36 anos, nem sempre pode se permitir não levar trabalho para casa. Embora, boa parte das vezes, o final de semana seja de folga. “Às vezes, preciso responder e-mail ou ficar de standby (em espera), mas é muito raro”. Em viagem ou de férias, porém, tem de estar sempre atenta a algo de importante que acontece na empresa.


A estratégia é também dar uma “esticadinha” e trabalhar até um pouco mais tarde na semana. Aos sábados, quando cumpre carga horária até meio dia, prepara-se para ir direto à praia. “Adoro tomar sol, água de coco, estender a canga e tomar um banho de mar na ‘Praia dos Crush’ (Praia de Iracema)”, detalha animada. Ao final do dia, a melhor opção é cair no samba. De preferência no Serpentina, um bar de amigos. “Lá tenho várias pessoas conhecidas. É o lugar para onde mais gosto de sair pra dançar. Além do Moto Libre Bar”.


Para fugir da rotina na semana, Juliana dedica dois dias ao ballet fitness e pratica musculação, todos os dias cedinho, antes de ir trabalhar. “Minha profissão é muito estressante porque trabalho com números e diversas empresas. Não fosse o tempo livre, ia ficar muito irritada, estressada”. Outra forma de desacelerar a correria do dia a dia é reservar 15 minutos para tomar um café e “colocar o papo em dia” com os colegas de trabalho. (Lígia Costa)

Adriano Nogueira

TAGS