PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Expectativa para alta estação no Ceará é receber 449 mil turistas

| Mês de férias | A projeção é da Secretaria Estadual do Turismo do Ceará (Setur-CE) que estima uma geração de receita turística da ordem de R$ 1,1 milhão

03/07/2019 06:34:50
(Foto: )

Este fim de semana dá a largada para um dos meses considerados mais prósperos para o setor turístico do Ceará. Em muitos municípios, a programação - pública e privada - já começa a atrair visitantes. A expectativa da Secretaria de Turismo do Ceará (Setur) é que neste ano o Estado receba em torno de 449 mil turistas em julho. Alta de 12,63% em relação ao ano passado, com potencial de gerar receita turística de R$ 1,1 milhão e impacto na renda de R$ 2 milhões.

De acordo com a Setur, a taxa média de ocupação hoteleira (considerando hotéis, flats, pousadas e albergues) está em 81,71%, podendo variar de um município para outro. Em Jijoca de Jericoacoara, por exemplo, o percentual é de 83,33%, já Canoa Quebrada é 68,50% e Guaramiranga está em 82,67%.

O cálculo das projeções leva em conta ainda, dentre outros fatores, a demanda turística, o tempo de permanência médio do turista no Estado, a movimentação prevista no Aeroporto Internacional Pinto Martins para o período e a demanda observada em plataformas de viagens e de hospedagem.

"Essa previsão mostra que nosso crescimento continua forte, que os novos voos nacionais e internacionais estão se consolidando. Outro dado que reforça isso foi a sondagem feita pelo Ministério do Turismo com as principais agências de viagens do País, que mostrou que Fortaleza é o destino mais procurado nessas férias de julho", afirma a secretária executiva do Turismo do Ceará, Denise Carrá.

Entre os empresários, o clima é de otimismo, mas com pé no chão. "A gente sabe que a economia ainda não decolou, ainda há um grande número de desempregados, mas julho é um mês que sempre tem uma intensidade turística bem maior, o que anima o setor, principalmente os que ficam mais próximos da praia e pontos turísticos", afirma o diretor do Sindicato de Restaurantes, Bares, Barracas de praia, Buffets e similares do estado de Ceará (Sindirest-CE), Antônio Alves Moraes Neto.

Em regra, o movimento nas barracas de praia em julho costuma ser 70% maior que em outros períodos do ano, segundo o proprietário da barraca Chico do Caranguejo, Liano Lourenço. Neste ano, ele acredita que haverá alta de 20% nas vendas em relação a julho do ano passado, mas muito por conta de pacotes que ficaram pendentes do início do ano. "Em janeiro, por conta dos ataques, o movimento caiu muito".

Ele diz que as contratações extras, que devem chegar a 25%, estão sendo feitas de forma gradativa. E algumas novidades já começam a ser implementadas para atrair o turista. "Na barraca Chico do Caranguejo, do Cumbuco, vamos ter todo sábado atrações musicais e programação especial para as crianças".

Em Jericoacoara, a pousada Vila Kalango aposta, dentre outros atrativos, em aulas de yoga e pilates aos seus clientes. Até o momento, a taxa de ocupação está em 86%, próximo a média do ano passado. "Acreditamos que vai ser um mês bom", afirmou a gerente de reservas, Luiza Santos.

A Prefeitura de Fortaleza também fortalece a programação turística. Durante todo o mês, o programa Praia Acessível, que oferece banho de mar assistido às pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida, terá o horário de funcionamento ampliado das 9 às 13 horas. E aos domingos, será retomado o projeto Pôr do Sol, com apresentações musicais gratuitas no Aterro da Praia de Iracema, em frente ao Boteco Praia. Neste domingo, a atração será o pianista Felipe Adjafre.

Em Guaramiranga, a expectativa é que o clima mais ameno - em média de 17 e 18 graus à noite - atraia em torno de 20 mil turistas, explica o secretário municipal do Turismo, Franzé Leal. "A taxa média de ocupação dos hotéis nos fins de semana fica entre 85% a 90%".

 

Clique na imagem para abrir a galeria

Cálculo

Pesquisa Setur:

Demanda hoteleira

Capacidade hoteleira em Uhs (apartamentos ou quartos)

Número de dias

Taxa de ocupação média

Relação Hóspede/UHs

Permanência média

Demanda turística

Participação da rede hoteleira nos meios de hospedagem

Irna Cavalcante