PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

PEC Nordeste tem previsão de R$ 1,2 milhão em negócios

| AGRONEGÓCIO | O evento segue até amanhã e atrai produtores que estão animados com a boa safra de grãos no Ceará

14/06/2019 01:31:34
PEC NORDESTE tem exposição de animais, no Centro de Eventos do Ceará
PEC NORDESTE tem exposição de animais, no Centro de Eventos do Ceará (Foto: Deisa Garcêz/ESPECIAL PARA O POVO)

Negócios no setor de agropecuária devem movimentar R$ 1,2 milhão em vendas de caminhonetes, maquinários, animais e produtos, no Seminário Nordestino de Pecuária, a PEC Nordeste, realizada no Centro de Eventos do Ceará até amanhã.

Após o resultado da safra cearense neste início de ano e com aprovação de crédito extra que permite o lançamento do Plano Safra 2019/2020 na próxima terça-feira, 18, o clima era de animação entre os produtores no evento.

Com espaço para expositores, feira de produtos e animais, a PEC Nordeste, que tem como tema principal "Tecnologia e inovação para uma pecuária competitiva", também terá lançamentos científicos.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, destaca que alternativas importantes, principalmente em tempos de convivência com a seca, estão sendo apresentadas aos produtores.

Em cerimônia de abertura realizada ontem, foi entregue a Medalha do Mérito Rural Prisco Bezerra. Na categoria Política e Administração Pública, a agraciada foi a ministra Tereza Cristina, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ela foi representada pelo seu assessor e ex-deputado federal da bancada cearense, Danilo Forte.

Ele destacou uma nova gestão em busca de parcerias no mercado internacional e a importância do Nordeste nessa cadeia produtiva e na "plantação de energia", com geração fotovoltaica. Danilo explicou que a ausência da ministra se deve aos últimos ajustes, junto à equipe do Ministério da Economia, para lançar o Plano Safra.

Para o Ceará, também foi anunciado ontem que o termo de adesão ao Garantia Safra 2018/2019 será assinado na segunda-feira, 17. Após reunião realizada em Brasília, foram garantidos R$ 83 milhões para execução do programa, R$ 16 milhões vêm do tesouro estadual. Mais de 164,3 mil agricultores de 174 municípios têm direito ao benefício.

Francisco De Assis Diniz, titular da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) do Estado, afirma que neste ano a safra cearense de grãos foi 7,5% melhor que no período passado. Destaque para produção de milho (safra 37% maior) e sorgo ( 15%).

Ele ainda acredita que com os investimentos feitos pelos programas São José (mais de R$ 600 milhões na agricultura familiar) e Paulo Freire (R$ 180 milhões para redução da pobreza entre os agricultores familiares), a participação da agropecuária no Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará aumentará.

O presidente do Banco do Nordeste (BNB), Romildo Rolim, acrescenta que o banco está buscando ampliar o financiamento de negócios no campo. O intuito é fazer com que o Agroamigo, programa de microcrédito rural orientado, invista mais que os R$ 2,5 bilhões do ano passado até o fechamento de 2019. Rolim também anunciou que pretende ampliar o Programa de Desenvolvimento Territorial, que tem atuação voltada a iniciativas de desenvolvimento local.

Clique na imagem para abrir a galeria

Irrigação

Ponto visto como vital ao agronegócio cearense, o Cinturão das Águas está com obras atrasadas. A demora é alvo de críticas do presidente da Faec, Flávio Saboya. "É essencial que essas águas cheguem ao Castanhão para viabilizar a irrigação".

 

Serviço

PEC Nordeste

Quando: Vai até amanhã

Local: Centro de Eventos do Ceará

Informações: Programação completa no site wwww.pecnordestefaec.org.br

Clesio Frota
Clesio Frota

Reúso de água na irrigação e fossa ecológica

Um dos expositores nos stands de inovação da PEC Nordeste é Clésio Frota. Ele desenvolveu o Sistema de Saneamento Ecológico Rural que permite reúso de água que vem do banho e pias de casas para ser utilizada na irrigação de fruteiras, hortaliças e forrageiras. O processo prevê direcionamento da água a um filtro para ser tratada por mecanismos de impedimentos biológicos e físicos.
A fossa ecológica é construída de placas em forma de tanque circular impermeabilizado, preenchido com diferentes camadas de substrato (contam com espaço para fermentação, camada de pedras, filtrante e solo para plantio) e plantado com espécies vegetais de crescimento rápido e alta demanda por água, que é proveniente de vasos sanitários. A água que antes, cheia de resíduos biológicos dispersados na natureza, supre demanda de irrigação para produção de alimentos.

SAMUEL PIMENTEL