PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Meta do hub é ofertar 31% mais assentos e quase quintuplicar cargas

| Air France-KLM/Gol | No próximo dia 14 será apresentado aplicativo de stopover com descontos em empresas parceiras

04/05/2019 00:05:23
EDUARDO Bernardes (Gol), Jean-Marc Pouchol (Air France-KLM) e Arialdo Pinho (Setur)
EDUARDO Bernardes (Gol), Jean-Marc Pouchol (Air France-KLM) e Arialdo Pinho (Setur) (Foto: Mateus Dantas)

Hub da Air France-KLM/Gol quer ampliar em 31% a quantidade de assentos disponíveis nos voos neste segundo ano de operações no Ceará. Somente com a troca de aeronaves da aérea francesa, o espaço destinado a cargas deve quase quintuplicar, o que favorece as exportações cearenses. O anúncio foi feito ontem pelo diretor geral da Air France-KLM para a América do Sul, Jean-Marc Pouchol, durante evento comemorativo de um ano do hub no Estado. O programa de stopover, que possibilita ao turista ficar alguns dias a mais em conexão na Capital sem adicional de taxas, também deve ganhar, em breve, aplicativo de descontos em empresas parceiras.

Listen to "#63 - Um ano do Hub no Ceará. O que melhorou?" on Spreaker.

A previsão é que no próximo dia 14 seja entregue pelo Governo do Estado, em evento em São Paulo, um modelo de aplicativo que aumenta as vantagens do stopover com parceiros.

Listen to "#63 - Um ano do Hub no Ceará. O que melhorou?" on Spreaker.

O secretário do Turismo do Ceará (Setur), Arialdo Pinho, explica que o Estado atua apenas como indutor deste processo. As negociações - e os percentuais de desconto - ficarão por conta das companhias e as empresas. Mas diz que no setor hoteleiro é onde este processo está mais adiantado. A ideia é incluir também restaurantes, lojas, parques e serviços. "Acho que dentro de 90, a 120 dias já deve estar rodando".

Jean-Marc Pouchol não fala em datas, mas confirma o interesse da companhia em fomentar estas parcerias. "O stopover já está disponível, mas é algo que vai continuar a crescer. Daqui a pouco vamos organizar uma campanha para fomentar estas conexões com a Gol com a parada em Fortaleza. Vamos fazer propaganda do aplicativo em todos os mercados europeus e no Brasil".

Ele destaca que já é perceptível o crescimento do interesse de estrangeiros pelo Estado. "Quando começamos os voos tínhamos uma minoria de clientes estrangeiros, hoje, dependendo do mês, 60% dos clientes que vêm da Europa, da Ásia, são para Fortaleza".

Em um ano, as três companhias transportaram mais de 2,5 milhões de passageiros entre destinos domésticos e internacionais, em mais de 17 mil voos. A taxa média de ocupação nos voos internacionais se manteve acima de 90% no período, segundo as aéreas.

Para este segundo ano, a meta é que juntas tenham 28% mais voos e 31% mais assentos disponíveis em relação aos primeiros 12 meses.

Somente com a troca das aeronaves Airbus A340-300 da Joon, pelo modelo Boeing 777-200, da Air France, a partir da última semana de outubro, a quantidade de assentos nos voos da companhia que partem de Fortaleza deve crescer 12%. E o potencial para transporte de cargas, que hoje é de 2,5 toneladas por voo, deve chegar a 14 toneladas. Alta de 460%. A capacidade atual das aeronaves da KLM é de 15 toneladas por voo.

De maio de 2018 para cá, já foram exportadas 1.200 toneladas de carga pelas companhias. Já as importações chegaram a 350 toneladas. A principal demanda é de frutas cearenses, mas cresce também a procura do serviço pelos setores de flores e peixes ornamentais. Segundo ele, esta transição da Joon pela Air France não acarretará em aumento nas tarifas.

A Gol, que ampliou em 39% a sua oferta de voos na Capital cearense neste primeiro ano, também prevê incremento na malha aérea. Recentemente, foram incorporados ao hub as conexões para Teresina e São Luís. E em agosto deve ser lançada mais uma frequência para Guarulhos (SP).

O vice-presidente Comercial e de Marketing da Gol, Eduardo Bernardes, diz que o foco é agregar melhorias. "Precisamos trabalhar também com o desenvolvimento de produtos turísticos".

Aeroporto de Juazeiro deve ganhar mais sete voos

Com a saída da Avianca do Ceará, a Gol deve ser a operadora dos voos que interligam Fortaleza e Juazeiro do Norte. Ontem, o vice-presidente Comercial e de Marketing da aérea, Eduardo Bernardes, anunciou pelo menos quatro voos por semana. Estão previstas ainda mais três rotas para outros estados.

Uma delas seria feita pela própria Gol interligando o Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes com o de Guarulhos (SP). Mas o secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, informou que a Azul também deve colocar mais uma frequência para São Paulo e a Latam incrementar uma para Brasília.

Listen to "#63 - Um ano do Hub no Ceará. O que melhorou?" on Spreaker.

Bernardes afirmou que o início das operações dependem da liberação do Boeing 737 Max pelas autoridades internacionais. "Depois disso será preciso fazer a reorganização da malha para podermos iniciar as operações", afirmou, ressaltando que depois disso o aumento das frequências vai depender do crescimento da demanda.

Arialdo diz que hoje não há espaço para trazer mais de uma companhia operando a rota Fortaleza-Juazeiro do Norte, sob pena de repetir o que ocorreu dois anos atrás, quando a Latam deixou de fazer a frequência ante a concorrência com a Avianca.

Também alertou que é bem provável que haja alta no preço das tarifas. "Existe uma mudança grande no Brasil e que nós precisamos prestar atenção. A Avianca trabalhava com preços muito baixos. O último voo da Avianca para Juazeiro era R$ 150, o ônibus leito custava R$ 170, então, tinha algum erro no mercado".

Irna Cavalcante