PUBLICIDADE
Jornal

Aeroportos cearenses têm movimentação recorde em 2018

| PASSAGEIROS | No primeiro ano de administração da Fraport, fluxo de passageiros em Fortaleza foi o melhor da história. Recorde também em Juazeiro

15/01/2019 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]

O Aeroporto de Fortaleza bateu recorde no fluxo de passageiros, em 2018. Dados divulgados pela Fraport revelaram variação positiva de 11,5% em comparação ao ano anterior, com 6.614.227 de embarques e desembarques de usuários. No Aeroporto de Juazeiro do Norte, 563.548 movimentações foram realizadas, também a maior somatória da história.

 

O resultado na Capital é melhor que os 6,5 milhões de 2014 - ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo de futebol. Em termos percentuais de variação anual, o número é o melhor desde 2010 (20,4% mais pessoas que 2009). No levantamento, são consideradas as quantidades de passageiros vindos de chegadas, partidas e conexões.

[FOTO2]

O recorde ainda pode ser explicado pela instalação do hub aéreo Air France-KLM/Gol, que completa um ano em maio deste ano, mas também mostra a força da gestão da concessionária Fraport, que assumiu em definitivo em janeiro do ano passado.

 

A empresa alemã divulgou nota em que afirma que um resultado oficial ainda pode até ser melhor, com atualizações e confirmações de números de companhias aéreas. "A Fraport Brasil - Fortaleza está orgulhosa dos resultados alcançados na movimentação de passageiros em 2018. Certamente, temos as melhores expectativas de crescimento".

 

O número de passageiros que passaram pelo Aeroporto Internacional Pinto Martins está dentro da previsão da Fraport. A projeção da empresa é que até o fim da concessão, em 2047, o equipamento receba mais de 29,2 milhões de pessoas por ano.

 

"O Aeroporto de Fortaleza vai crescer muito e o Ceará também. A parceria com a Fraport e companhias aéreas ainda é muito inicial, mas já vemos resultados no primeiro ano. É uma vitória já ter esses números contundentes", afirma o titular da Secretaria do Turismo (Setur), Arialdo Pinho.

 

Sobre Juazeiro do Norte, ele avalia a força da região do Cariri como centro do interior do Nordeste. A variação percentual, segundo o secretário, é melhor que os números de aeroportos de grandes centros na região.

 

Especialista em aviação, o professor de economia do transporte aéreo, Adalberto Febeliano, considera o crescimento alto, mas previsível. "É de se esperar na medida em que se têm grandes empresas centralizando voos em Fortaleza, no caso Gol e Air France, um crescimento grande no número de passageiros".

 

"Podemos esperar uma consolidação ainda maior do hub e aumento de passageiros por conta disso", acrescenta Febeliano. Mas, de acordo como o especialista, o potencial brasileiro no setor é maior se conseguir superar apenas 0,5 viagem por habitante, anual, no médio e longo prazo.

 

"Quando se cria um hub, existe uma requalificação do aeroporto, criando as conectividades com outros voos, aumenta a quantidade de passageiros que passa pelo aeroporto, concentrando tráfego, conexões, mais opções de destinos e horários", complementa.

 

Um dos setores mais beneficiados pelos fluxos nos aeroportos é o turismo. Arialdo diz que, nesta alta estação, a ocupação dos hotéis no Ceará é considerada boa, mesmo em dificuldades na segurança pública. "O Ceará deve estourar no turismo. Vai ficar muito bom para o setor".

 

SAMUEL PIMENTEL

TAGS