PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Feira deve movimentar R$ 25 milhões

| ENCONTRO INTERNACIONAL DE NEGÓCIOS DO NORDESTE |

14/11/2018 01:30:00
NULL
NULL (Foto: )

[FOTO1]
Mais de 120 micros e pequenas empresas participaram ontem da rodada de negócios, no Sebrae, em Fortaleza, com compradores de 23 países. Os produtos dos segmentos de moda, cosméticos e alimentos e bebidas foram expostos durante o 20º Encontro Internacional de Negócios do Nordeste. De acordo com a organização do evento, a feira deve movimentar em torno de R$ 25 milhões em exportações.

Somente do Ceará foram 46 expositores. Marta Campelo, coordenadora do Sebrae, explica que este tipo de encontro é fundamental para aproximar as pequenas empresas dos grandes mercados internacionais. Para isso, foi feito um trabalho prévio de preparação destas empresas, o que inclui questões como embalagem, legislação e lista de preços ao exportador.

"Há muito interesse nos produtos brasileiros. Principalmente os países da América Latina estão buscando oportunidades junto às pequenas empresas até porque trabalham com pequenos volumes. Esta é uma grande oportunidade para quem exporta ou tem interesse de se internacionalizar".

A diretora da cearense Viure Cosméticos, Lilian Lazarine, saiu da primeira rodada com investidores franceses bem animada. "Já fechamos a primeira parceria". A empresa já exporta há quatro anos. Ela explica que um dos principais obstáculos para uma pequena empresa se internacionalizar é justamente vencer a desconfiança.

A empresária Márcia Oliveira, da All Day, de moda praia, afirma que hoje 10% das quase 2 mil peças produzidas no mês já têm como destino as exportações. Mas a meta é crescer mais. "Ainda estamos engatinhando, mas para este apoio é super importante, principalmente para os períodos de baixa estação".

A empresa paraguaia Indega SA há 20 anos leva produtos para aquele país. Mas a diretora Liz Samudio diz que esta é a primeira vez que vem a Fortaleza. "Estou achando os produtos muito interessantes, principalmente o óleo de coco".

No caso da Suco do Brasil, distribuidora alemã, o interesse era sobre as frutas e produtos típicos do Nordeste, como geleias de frutas, cachaças e produtos a base de tapioca e mandioca. "Com certeza, vamos levar muitos desses produtos para a Alemanha", afirma a diretora Hildegarde Wisch.

NEGÓCIO

A 20ª edição do Encontro traz 18 compradores internacionais, que vão negociar com 99 empresas cearenses dos ramos de moda, alimentos e bebidas, orgânicos e cosméticos.

 

Irna Cavalcante

TAGS