PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Ceará precisa fidelizar o turista, diz presidente da Abav

| DESAFIOS | Após o hub da Air France-KLM/Gol e intensas negociações com segmentos do turismo, o Estado deve promover boa experiência para garantir retorno dos visitantes

17/07/2019 08:05:00
Presidente da Abav, Geraldo Rocha, aposta no Ceará
Presidente da Abav, Geraldo Rocha, aposta no Ceará (Foto: FOTOS: ISABEL FILGUEIRAS )

A quantidade de voos nacionais e internacionais só cresceu em Fortaleza nos últimos dez meses. Com a chegada do hub da Air France-KLM/Gol, o ano fecha com mais de 70 rotas por semana para o Exterior. Agora, o desafio do Ceará é conseguir fazer com que o turista seja fiel, volte e recomende o destino para os amigos e família. Para isso, será preciso investimento em infraestrutura e segurança, aponta a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav).

"O Ceará terá uma boa chance de mostrar que é um destino sério, correto e bom para vender. É desagradável ser abordado. O cara vem a primeira vez, mas não vem a segunda. O turista não quer ser molestado. Essa é a chance que vocês estão tendo, se não arrumarem agora, perdem esse destino. Turistas vão escolher outro lugar", observa o presidente da Abav, Geraldo Rocha.

Para o agente de viagens, o mais importante é garantir que o cliente tenha uma boa experiência, se sentir livre, seguro e despreocupado. "Não percam essa oportunidade que estão tendo de receber esse vôos da Europa. O turista europeu ama praia e sol. Vocês têm esse privilégio de sol quase o ano inteiro. Tem que cuidar disso", acrescenta. Ele explica que o Brasil é visto como um destino longe, perigoso e caro, mesmo com a desvalorização do real perante o dólar. Geograficamente estratégicas, as rotas para Fortaleza diminuem a distância, mas as políticas do País ainda precisam se modernizar a fim de tornar a Capital mais atrativos.

Rocha aponta ainda que, em sua agência em Curitiba, Fortaleza sempre foi campeã de vendas no Nordeste. Depois vem Salvador (BA), Natal (RN), Recife (PE) e João Pessoa (PB). "Há muito tempo Fortaleza está em primeiro lugar. Mas tem clientes que ficam só no Beach Park e não saíram porque o Centro era perigoso", lamenta.

Otimista para as próximas temporadas, o presidente da Abav também defende que o turismo é o setor que tem mais facilidade de se recuperar de crises econômicas. Ele lembra o exemplo do estado da Flórida, nos Estados Unidos, que se reergueu mais rapidamente após a crise de 2008. Portugal também apostou nesse mercado e agora vive onda de prosperidade. "Não precisou fazer indústrias, trazer insumos. Arrumou o que estava precisando, agora tem táxis, um monte de padaria vendendo pastel de Belém", diz.

Durante a Abav Expo, que ocorreu de 26 a 28 de setembro, o Ceará teve espaço de destaque. No estande da Secretaria do Turismo, os destinos mais procurados foram Jericoacoara, Canoa Quebrada e, aos poucos, o Cariri. A região ganhou até estande próprio, o que reflete os esforços do Governo em promover o movimento religioso e cultural em Juazeiro, Barbalha e Crato, terra do governador Camilo Santana (PT). A feira movimentou cerca de R$ 110 milhões em negócios nesta edição.

Clique na imagem para abrir a galeria

Isabel Filgueiras

TAGS