PUBLICIDADE
Jornal
>

Aeroporto Pinto Martins permanece no radar do hub da Latam

| FORTALEZA | Empresa anuncia 25% de aumento do número de voos nacionais e ampliação para cinco frequências internacionais

05/07/2018 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

A Latam não descartou a possibilidade de implantação de um hub no Nordeste. O crescimento das operações da companhia no Ceará, com dois voos para Orlando e ampliação para três frequências a Miami, além do aumento de 25% da malha nacional, fazem com que a empresa coloque Fortaleza no radar do centro de conexões da região.


“O que aconteceu, no ponto de vista econômico, fez com que adiássemos o hub no Nordeste e adotássemos outra estratégia. Vamos construindo aos poucos. É um passo na direção correta essa elevação de 25% da malha doméstica”, afirmou Jerome Cadier, CEO da Latam Brasil, em solenidade de inauguração dos voos da empresa no Palácio da Abolição. O executivo destacou que Fortaleza é a terceira operação mais importante no País, atrás apenas de Brasília e São Paulo.


“Considerando que o Nordeste possui localização geográfica estratégica e consegue distribuir passageiros para outras cidades do Brasil e da América Latina”, avaliou. Além de Fortaleza, o hub é disputado por Recife e Natal.


Um dos efeitos ocasionados pela expansão da malha aérea e da chegada de novos voos internacionais é o fornecimento de peças para aeronaves da companhia, no âmbito da manutenção. “As peças vêm dos Estados Unidos e da Europa e alimentam nossos aviões. Elas acabam distribuídas de Guarulhos para o País. Queremos fazer isso a partir de Fortaleza, sendo repassadas nas diversas bases de manutenção que temos no Brasil”, adiantou Jerome. A estimativa é de US$ 50 milhões em volume de peças anuais da Boeing e Airbus.


O planejamento para a distribuição ainda está sendo pensado. “Temos mais de 130 aviões que voam no Brasil. É preciso diluir esse estoque. Para isso, podemos aproveitar o espaço de carga dos aviões que chegam a Fortaleza. Aproveitamos a barriga do avião e distribuídos essas peças para outras cidades”, detalhou.


A Latam, com o anúncio, responde de maneira competitiva às companhias Air France-KLM e Gol. Jerome disse que o modelo de hub do grupo franco-holandês, com cinco voos semanais (dois para Paris e três para Amsterdã), está longe do que a Latam categoriza de centro de conexões. “Quando chamávamos hub, falávamos entre dez a 12 voos internacionais diários de uma só companhia. Nenhuma está perto disso. Originalmente nós falamos em hub, mas ainda estamos distantes”, criticou.


Sobre a possibilidade de dois centros de conexões no Aeroporto de Fortaleza, o CEO da Latam acredita que o desafio está em saber se vai ser um jogo de várias companhias brigando pelo mesmo passageiro, ou se uma empresa vai tomar a liderança.

 

GIRO NA AVIAÇÃO


As equipes de Governo do Estado e Prefeitura de Fortaleza estudam a modalidade de stopover na Capital, quando o passageiro faz de maneira voluntária escala ou conexão com duração maior que 24 horas, conforme explica Roberto Cláudio (PDT), prefeito de Fortaleza. “O stopover já é uma realidade de outras companhias áreas, estimulando o turista a permanecer na Capital. Vai gerar mais empregos para o Estado e movimentar a economia cearense”, destacou o governador Camilo Santana (PT).


A Latam inicia as vendas do voo Guarulhos-Lisboa a partir do dia 2 de setembro. Ao todo, são cinco voos semanais. “A demanda é grande e era difícil apenas uma companhia operar esses destinos (Brasil e Portugal)”, disse Jerome Cadier, CEO da Latam Airlines Brasil.


Sem previsão de novos internacionais. Madri, Joanesburgo e Londres são os próximos destinos operados pela Latam via Fortaleza? Jerome Cadier avalia ser muito cedo para pensar em futuras operações.


A isenção do ICMS do querosene foi um dos fatores para que a companhia ampliasse o número de voos no Estado.


Pela lógica do Regime Especial de Tributação, companhias aéreas são beneficiada com isenção do tributo se implantar um hub, por meio de operações próprias ou coligadas, e mantiver uma frequência mínima de cinco voos semanais internacionais, desde que estes sejam operados com aeronaves de corredor duplo (widebody); e 50 voos diários com interligação nacional, considerada a totalidade de chegadas.

 

Voos partindo da Capital

 

A partir de hoje, será inaugurada a rota Fortaleza-Orlando-Fortaleza, com dois voos (ida e volta) por semana.


A PARTIR DE AGOSTO:


6 voos (ida e volta) - Fortaleza-Vitória.

47 voos (ida e volta) - Guarulhos.

20 voos (ida e volta) - Brasília.

13 voos (ida e volta) - Salvador.

11 voos (ida e volta) - Recife.

11 voos (ida e volta) - São Luís.

Nove voos (ida e volta) - Belém.

Oito voos (ida e volta) - Teresina.

Dois voos (ida e volta) - Manaus.

Dois voos (ida e volta) - Belo Horizonte.

 

JÁ INAUGURADOS:

Nova rota Fortaleza-Porto Alegre aos fins de semana.

Fortaleza-Curitiba aos fins de semana.


Rota Fortaleza-Brasília teve ampliação de 14 para 18 voos (ida e volta) semanais.


Fortaleza-Guarulhos teve ampliação de 36 para 41 voos (ida e volta) semanais.


Fortaleza-Miami- ampliação de um para três voos (ida e volta) semanais.


Rota Fortaleza-Galeão - retomada com 1 voo (ida e volta) semanal.

 

Átila Varela

TAGS