PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

PIB do Ceará cresce 1,55%, acima da média nacional

| RESULTADO REGIONAL | O Estado apresentou avanço de 1,55% no primeiro trimestre de 2018. O do País foi de 0,4%

01:30 | 13/06/2018

A alta do Produto Interno Bruto do Ceará (PIB) no primeiro trimestre de 2018 ante igual período do ano passado foi de 1,55%. Com o resultado, o avanço do PIB no Estado foi acima da média do páis, que fechou em 1.2%. 

O setor agropecuário despontou no resultado do trimestre, seguido pela indústria e serviços. Os números de cada segmento, além dos fatores que responderam pelo crescimento, serão divulgados hoje pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

“O fato de o Ceará crescer mais que o Brasil está relacionado, em maior escala, à participação do setor de serviços. No País, há uma dependência com a indústria. Outro ponto é o volume de investimentos públicos, que repercute no segmento (serviços), na indústria, via construção civil”, adiantou Nicolino Trompieri Neto, coordenador de Contas Regionais do Ipece.

Em 2017, o PIB cearense avançou 1,87% e o do País a 1%. Já no último trimestre do ano passado, de outubro a dezembro, o crescimento da economia estadual foi de 3,24%. No Brasil, o aumento foi de 0,2%.

“O Ceará está crescendo acima do Brasil num momento difícil da economia brasileira, de recuperação”, disse Camilo Santana (PT), governador do Estado, ao vivo, em sua página no Facebook.

Apesar de o Estado apresentar alta maior que a do País, a participação do Ceará no PIB do Brasil, quase 2%, é pequena, mas começa a mudar. “As taxas de crescimento são maiores que outros estados”, destacou Ricardo Coimbra, mestre em Economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

O fortalecimento da Zona de Processamento de Exportações do Ceará (ZPE Ceará), os hubs (aeroportuário, portuário e cabos submarinos), somados com o controle fiscal contribuem para o cenário. “Isso acontece não em função da gestão do Camilo (Santana), mas sim das políticas adotadas desde o Governo Tasso, passando por Ciro Gomes, Lúcio Alcântara e Cid Gomes”, considerou.

O economista também considera que o Estado deve fechar o ano com crescimento superior ao do Brasil. A agropecuária será o principal indutor. “O Brasil vai crescer menos de 2%, enquanto o Ceará crescerá mais. O aporte de chuvas do começo do ano melhorou o cenário. A indústria, por sua vez, vai crescer de maneira mais lenta ao longo dos anos”, ressalta.

Colaborou Raone Saraiva

 

 

SETOR SE DESTACA

Na avaliação do economista, o setor de serviços do Estado também experimentará elevação do Produto Interno Bruto (PIB), puxado pela sensível melhora do consumo..

 

ÁTILA VARELA