PUBLICIDADE
Jornal
>

Governo busca investidores na China para refinaria e petroquímica

| NEGOCIAÇÕES | A agenda no país asiático, que segue até 10 de maio, está sendo cumprida pelos secretários Hélio Parente e Élcio Batista

04/05/2018 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]
O novo assessor para Assuntos Internacionais do Governo do Ceará, Hélio Parente, e o chefe de gabinete do governador Camilo Santana, Élcio Batista, estão na China para dar seguimento às negociações que visam à instalação da refinaria e da petroquímica no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Ciip), especificamente na área da Zona de Processamento e Exportação (ZPE).

A agenda oficial começou no último dia 27 e segue até o próximo dia 10 de maio, nas cidades de Pequim e Quingdao. Os secretários tiveram reunião com o Grupo Fosun International, além de encontro com a China Comunication & Construction Company (CCCC), empresa com a qual assinaram memorando de entendimento (MOU).


Élcio volta da China neste sábado, mas Hélio fica até a próxima quinta-feira. No cronograma do assessor para Assuntos Internacionais também está visita técnica ao Parque Petroquímico da Qingdao Xinyutian Chemical Co., da qual o Governo já é parceiro. A companhia, inclusive, já possui registro na ZPE. Haverá também reunião e assinatura de MOU com as empresas PowerChina Ltd. e PowerChina Trade Solutions.


No fim do ano passado, o Governo assinou MOU com o Banco de Desenvolvimento da China (China Development Bank) para o financiamento da refinaria no Ceará, cujo investimento previsto é de US$ 4,5 bilhões. Há grande interesse da petroleira chinesa Guangdong Zherong Energy (GDZR).


Deste valor, US$ 4 bilhões seriam destinados à unidade de refino. E os outros US$ 500 milhões empregados na construção de um terminal petroleiro no Pecém. Também é projetada uma petroquímica da Qingdao Xinyutian Chemical, destinada à produção de derivados advindos do combustível fóssil. O equipamento é estimado em US$ 3 bilhões.


Em março deste ano, o então secretário para Assuntos Internacionais, Antônio Balhmann, pediu ao Governo Federal que a refinaria do Ceará fosse prioridade no acordo comercial Brasil-China.


Em janeiro, ele esteve no Irã, onde participou de negociação com três empresas que estariam dispostas a fornecer insumos para a unidade de refino: National Petrochemical Company (NPC), National Iranian Oil Refining & Distribuition (Niordc) e National Iranian Oil Company (Nioc).

 

AGENDA


1. Reunião com o Grupo Fosun International


2. Assinatura de memorando de entendimento com a China Comunication & Construction Company (CCCC)


3. Visita técnica ao Parque Petroquímico da Qingdao Xinyutian Chemical Co.


4. Assinatura de memorando de entendimento com a PowerChina Ltd. e PowerChina Trade Solutions


PROJETO


A refinaria Premium II seria construída no Ceará pela Petrobras, mas a estatal desistiu do projeto em janeiro de 2015. Desde então, o Governo busca alternativas para viabilizar o empreendimento


 

 

4




bilhões de dólares é o valor estimado para a construção da refinaria, enquanto US$ 3 bilhões é o montante previsto para a petroquímica

 

 

Raone Saraiva

TAGS