PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Usina de biogás entra em operação no próximo dia 16

Será a primeira usina de produção a partir do lixo produzido em Fortaleza

01:30 | 04/04/2018

No próximo dia 16 será inaugurada a Gás Natural Renovável Fortaleza (GNR Fortaleza), a primeira usina de produção de biogás a partir do lixo produzido em Fortaleza. O projeto, que tem investimento privado de R$ 100 milhões, tem capacidade de alcance de até 80 mil m³ de gás biometano por dia, mas pode chegar a 150 mil m³ em 2019.

Localizado em Caucaia, o empreendimento - que é uma parceria da Ecofor Ambiental (grupo Marquise), da empresa carioca Ecometano e da Companhia de Gás do Ceará (Cegás) - produz combustível a partir da decomposição de resíduos orgânicos depositados no Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia (Asmoc), principal destinação de todo o resíduo sólido de Fortaleza.

Por dia, são recolhidos e tratados em torno de três mil toneladas de lixo na usina, que passarão a virar combustível para carros, para indústrias ou gás canalizado em residências.

“A nossa expectativa é extremamente positiva porque é uma operação muito importante no sentido ambiental e reduz significativamente a emissão de gases na atmosfera. Com a usina, Fortaleza sai na frente no cumprimento da política de resíduos sólidos. O gás metano (o do lixo) é 21 vezes mais nocivo que o CO2 (gás carbônico) para o aquecimento da terra”, afirma o diretor presidente da Ecofor Ambiental, Hugo Nery.

O gás renovável será integrado à rede da Cegás por um gasoduto de 23 km. Os primeiros testes começaram em novembro do ano passado e o produto serviu para atender a demanda da indústria de cerâmica, Cerbrás, primeiro contrato fechado da empresa. Mas, na medida em que a produção aumenta, a ideia é levar este produto para os outros clientes também.

De acordo com o presidente da Cegás, Hugo Figueirêdo, a partir da usina, será possível aumentar o volume de gás comercializado pela companhia em 15%. “É uma parcela considerável que a gente vai passar a receber”, avalia.

Em 2017, houve um aumento de 16,69% nas vendas de gás natural pela Cegás em relação ao ano anterior. O volume médio do combustível comercializado, incluindo o consumo termoelétrico, foi de 1.587.152 m³/dia. “No ano passado tivemos quase 2.500 clientes novos na nossa carteira, com este investimento devemos agregar mais 5 mil clientes aproximadamente”, afirma Figueirêdo.

Nery ressalta que a planta cearense também se destaca pela tecnologia e capacidade implantada. É a segunda maior do País. Perde apenas para a usina de Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, que tem capacidade instalada para produzir 240 mil m³ do biogás por dia. ”O Ceará será referência em exploração e aproveitamento de resíduos sólidos”, complementa.

 

IRNA CAVALCANTE