PUBLICIDADE
Jornal

Ações da cearense Hapvida são precificadas em R$ 23,50

| IPO | A operadora de planos de saúde e odontológico fará sua oferta inicial de ações amanhã na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo

24/04/2018 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

A ação do Hapvida foi precificada ontem em R$ 23,50, ficando superior ao centro da faixa indicativa que ia de R$ 20,41 a R$ 25,66. A operadora cearense de planos de saúde e odontológico fará sua oferta inicial de ações (IPO na sigla em inglês) amanhã na B3, a Bolsa de Valores do Brasil, com o código HAPV3.


Com o valor precificado, cerca de R$ 3 bilhões podem ser conseguidos com o IPO, conforme já previa a expectativa de mercado. Serão ofertadas 93,9 milhões de ações, além de 28,58 milhões na oferta secundária.


O registro de companhia aberta foi concedido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ao Hapvida na última sexta-feira, 20. A solicitação havia sido protocolada no dia 27 de março.


Conforme O POVO publicou no dia 9 de abril, a oferta inicial de ações do Hapvida já tinha demanda garantida. Nem mesmo o cenário de incertezas no Brasil e no Exterior, diante da atual conjuntura política, que afeta a economia do País, fez os investidores perderem o interesse pela operadora cearense. A empresa chegou a realizar roadshows (reuniões) com investidores para lançar o IPO.


A estreia do Hapvida é listada no Novo Mercado, o segmento com maiores exigências de governança corporativa da B3. O coordenador líder da oferta é o BTG Pactual e Bank of America Merrill Lynch e o Goldman Sachs também participam da operação.


Além disso, a oferta de ações primária e secundária será com desinvestimento de parte das ações detidas pelos atuais acionistas. Com isso, uma parcela dos recursos vai direto ao caixa da empresa, como para plano de negócios para expansão de atividades. Outra cota é para os acionistas vendedores.


A estratégia da empresa é consolidar presença no Norte e Nordeste, além de expandir seus negócios para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O Hapvida possui 25 hospitais, 74 centros clínicos, 17 unidades de pronto atendimento, 72 unidades de diagnóstico por imagem e 67 postos de coleta laboratoriais. São 3,9 milhões de beneficiários.


No ano passado, o lucro líquido da operadora foi de R$ 650,598 milhões, configurando alta de 42% em relação ao resultado de igual período de 2016. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado chegou a R$ 868,352 milhões, representando salto de 68,1%. Já a receita líquida chegou a R$ 3,848 bilhões em 2017.


Procurado pelo O POVO, o Hapvida informou que não está comentando sobre o assunto.


ENTRADA NO MERCADO DO SUL

Neste ano, o Hapvida espera concluir a construção de mais um hospital, localizado em Joinville (SC), o que marcará o início da atuação da empresa na região Sul do Brasil.

 

Gabrielle Zaranza

TAGS
NULL